Publicado em 8/06/2012 as 12:00am

Brasileira ajuda a policia a prender quadrilha

Com a ajuda de uma brasileira que vive na Georgia, as autoridades conseguiram desmantelar, nesta semana, uma quadrilha especializada na falsificação de documentos e forjar informações para conseguir carteira de motorista para imigrantes indocumentados. A

Com a ajuda de uma brasileira que vive na Georgia, as autoridades conseguiram desmantelar, nesta semana, uma quadrilha especializada na falsificação de documentos e forjar informações para conseguir carteira de motorista para imigrantes indocumentados. A informação foi dada pelo promotor Matt Chandler. "Ela afirmou que pagou $4 mil (média de R$ 8 mil) para uma pessoa identificada por Collazo-Medrano.

A quadrilha, sediada no Texas, falsificava contratos de arrendamento, extratos bancários, títulos e documentos de veículos, entre outros. O objetivo era fornecer ao cliente, o necessário para obter a carteira de motorista no Novo México, onde ainda é concedida a carteira de motorista para indocumentados, desde que provem que moram no estado.

O promotor não definiu quantas carteiras foram emitidas através deste esquema, mas acredita-se que centenas de imigrantes possam ter obtido o documento utilizando os documentos falsificados. Entre eles, estão muitos brasileiros, tal como a brasileiro que ajudou a polícia e teve seu nome mantido em segredo para não atrapalhar as investigações.

Foram emitidos mandados de prisão para nove pessoas e a polícia acredita que outras possam estar envolvidas. "Nós sabemos, com certeza, que existem outras quadrilhas agindo da mesma maneira no estado", disse Demesia Padilla, secretária de Estado de Tributação e Receita. Ela supervisiona a divisão do "Motor Vehicle" do Novo México.

Ela apresentou a sua preocupação pelo fato de muitas carteiras terem sido emitidas para imigrantes de estados distantes, como a Flórida, Georgia, Illinois e Massachusetts. "Nós faremos uma fiscalização em todas os documentos dados à imigrantes que apresentem suspeitas e cancelaremos cada um", afirma.

Novo México e Washignton ainda são os únicos estados norte-americanos que concede carteira de motorista a imigrantes indocumentados. Eles precisam apenas apresentar um documento que prove residência no estado, tal como os documentos citados anteriormente. É nesta hora que entra em ação as quadrilhas que chegam faturar centenas de milhares de dólares com o esquema.

Ela afirma que os legisladores precisam revogar a lei que permite a concessão de carteira de motorista para indocumentados, caso contrário "estas quadrilhas continuarão agindo". A governadora do Novo México, Susana Martinez, tem repetidamente pressionado os legisladores no sentido de que eles revoguem a lei e proíba esta concessão.

O Senado do estado aprovou, este ano, uma lei que tornaria mais difícil a concessão de carteira para indocumentados, mas a Câmara acabou rejeitando o projeto por falta de votos. "A prisão dos membros desta quadrilha mostra que a único caminho para por um fim neste tipo de crime é não permitir que imigrantes em situação ilegal consigam o documento", disse a governadora em um comunicado, na quarta-feira (06).

O líder desta quadrilha foi identificado como Luis Raul Collazo-Medrano e trabalhava com a ajuda de sua esposa Esther Campos Olivia e sua filha Viridiana Campos, além de outras pessoas que não foram localizadas.

Segundo o promotor, as investigações começaram há oito meses depois que se tornou público que imigrantes em diversos estados estão usando carteira de motorista do Novo México. Os investigadores resolveram ir mais afundo no assunto e acabaram descobrindo que muitos deles utlizaram o mesmo número telefônico, locado no condado de Roosevelt. Vários candidatos também usaram o mesmo endereço como residência, nas cidades de Clovis e Portales.

A brasileira disse às autoridades que exigiu o seu dinheiro de volta quando percebeu que havia algo errado e a concessão de sua carteira estava demorando. Mas, segundo ela, Collazo teria dito que os US$4 mil não significava muito, pois ele ganhava cerca de US$ 30 mil por mês com as carteiras emitidas.

Segundo Chandler, 92 mil licenças foram emitidas para imigrantes pelo departamento de veículos do Novo México. Desde total, apenas 16 mil apresentou um retorno na temporada de Imposto de Renda. "Acreditamos que exista um úmero grande de indocumentados beneficiados pelo golpe", acrescenta salientando que a ideia principal é punir os membros das quadrilha se não os solicitantes dos documentos. (texto: Luciano Sodré)

Fonte: Brazilian Times