Publicado em 11/06/2012 as 12:00am

Diretor do ICE garante que deportações aumentarão

Durante uma entrevista em um programa de rádio, o diretor do Immigration and Customs Enforcement (ICE), John Morton, falou sobre a recente onda de deportação, as mudanças na agência, contratação de mais funcionários e os planos para aumentar o número de i

da redação

Durante uma entrevista em um programa de rádio, o diretor do Immigration and Customs Enforcement (ICE), John Morton, falou sobre a recente onda de deportação, as mudanças na agência, contratação de mais funcionários e os planos para aumentar o número de imigrantes expulsos do país. Ele também respondeu algumas perguntas relacionadas a aplicação do "Secure Communities".

Outra participante do programa foi Mary McCarthy Meg, diretora-executiva do Heartland Alliance's National Immigrant Justice Center, em Chicago. Ela afirmou que o programa tem promovido o medo na comunidade imigrante e já afugentou muitas testemunhas que poderiam colaborar na elucidação de crimes. "Estas pessoas temem ir à polícia e acabar presas por serem imigrantes indocumentadas", explica.

Morton disse que o objetivo do programa é retirar de circulação apenas os imigrantes que apresentem algum perigo à sociedade. "Não temos nenhuma cota de prisões estabelecidas e as deportações acontecerão gradativamente", fala ressaltando que alguns planos estão em elaboração para aumentar o número de imigrantes expulsos do país.

O diretor explica que a agência está seguindo apenas as orientações de um estatuto e as normas que o Congresso estabeleceu. Segundo ele, existe uma série de infrações penais consideradas crimes (homicídio, tráfico de drogas, estupros, fraudes em documentos, etc), e é baseado nisso que os agentes estão atuando em todo o país. "Estamos atrás de quem comete estes crimes", ressalta.

Relembrado alguns dados, Morton disse que no ano passado o "Secure Communities" conseguiu expulsar dos EUA cerca de 216 mil imigrantes, dos quais 60% eram criminosos que apresentavam algum perigo à sociedade. Já Mary discordou do diretor e ressaltou que a maioria dos deportados foram presos por terem cometidos pequenas infrações no trânsito, até mesmo porque o veículo estava com uma lanterna traseira quebrada. "Muitas destas pessoas viviam aqui há anos e foram deportadas sem direito de defesa", fala.

Para responder, o diretor disse que "as leis dos EUA regem que as pessoas podem ser deportadas pelo simples fato de estarem ilegalmente no país". Ele justifica que o trabalho da agência é fazer cumprir a lei. "Mas os imigrantes não criminosos não são prioridade e não pretendemos deportá-los em grande número", continua.

O diretor rebateu todas as afirmações do apresentador e da participante de que o programa tem gerado medo e desconfiança nas pessoas. Ele explicou que trata-se de uma iniciativa para identificar e remover os imigrantes criminosos mais graves do país. "Estou ciente das críticas, mas garanto que não estamos preocupado com isso. Pelo contrário, queremos impor a lei e garantira segurança dos nossos cidadãos", fala.

Finalizando a entrevista, o diretor assegurou que os planos é colocar mais agentes nas ruas e promover um número maior de deportações.

Fonte: Brazilian times