Publicado em 27/06/2012 as 12:00am

Calor mata quatro imigrantes na fronteira dos EUA

Eles foram encontrados em locais diferentes e abandonados pelos coiotes que os conduziam

Eles foram encontrados em locais diferentes e abandonados pelos coiotes que os conduziam

da redação

Os agentes fronteiriços anunciaram na segunda-feira (25), que encontraram quatro corpos de imigrantes que tentavam atravessar a fronteira dos EUA com o México, no estado do Arizona. Eles teriam morrido devido ao forte calor que atingiu a região no final de semana, ultrapassando os três dígitos.

O estado do Arizona é um ponto comum para o tráfico de pessoas e os contrabandistas utilizam como local principal, o deserto de Sonora, uma região que, em Junho, o calor ultrapassa os 115 graus Fahrenheit (46 graus Celsius).

Os corpos foram encontrados em locais diferentes, sendo que os três primeiros foram achados no sábado e o terceiro, no domingo. Todos morreram devido a exposição ao calor, conforme informou os agentes. Junto com um dos corpos, havia uma mulher grávida, desidratada. Ela estava sentada ao lado do cadáver, que era seu marido.

Segundo o depoimento que ela prestou aos agentes, o casal é oriundo da Guatemala e tinha atravessado a fronteira dois diantes antes de ser encontrado pelos agentes. Ela ressaltou que os dois foram abandonados pelos "coiotes" depois que o marido sofreu um colapso.

Mais tarde, ainda no sábado, os agentes resgataram os restos mortais de um segundo homem, que acredita-se ter pouco mais de 20 anos de idade. Não foi informado a nacionalidade dele.

O terceiro corpo foi encontrado perto de Lukeville, a 150 quilômetros sudoeste de Tucson. O homem teria entre 30 e 35 anos de idade e estava nu, deitado no chão, em uma aparente tentativa de esfriar o corpo.

Na manhã de domingo, os agentes prenderam um pequeno grupo de imigrantes a oeste de Sells, que informou que um dos membros havia ficado para trás e morrido devido ao calor. Mais tarde, encontraram o corpo que era de um mexicano.

Segundo estudos feitos sobre o assunto, desde 1998 até 2008, cerca de 5.300 imigrantes morreram ao tentar atravessar a fronteira dos EUA com o México. A maior parte foi devido ao calor, desidratação, fome e sede.

Fonte: Brazilian Times