Publicado em 27/06/2012 as 12:00am

Supremo permite que policiais no Arizona "persigam" imigrantes

O governador de Massachusetts, Deval Patrick, criticou a decisão e disse que vai vetar qualquer medida semelhante em seu estado

O governador de Massachusetts, Deval Patrick, criticou a decisão e disse que vai vetar qualquer medida semelhante em seu estado

da redação

O supremo Tribunal dos Estados Unidos cancelou, na segunda-feira (25), a maior parte da polêmica lei do Arizona, SB-1070, que entre outros pontos obrigava os policiais locais checarem o "status imigratório" de pessoas detidas por crimes graves ou pequenas infrações.

O resultado negativo da aplicação desta lei pode ser percebida tanto no Arizona, quanto nos estados que seguiram o mesmo caminho, entre eles Alabama e Georgia. Os trabalhadores imigrantes, em situação legal ou ilegal, fugiram em massa, segundo estudos realizados pela Universidade do Alabama, prejudicando fortemente a economia destes estados.

Pelo menos 800 mil imigrantes deixaram o Arizona e empresários do ramo alimentício e produtores rurais foram os mais afetados. Metade dos agricultores e donos de restaurante relataram uma escassez e a produção caiu pela metade. Alguns estudos afirmam que o Arizona perdeu cerca 17% de sua força de trabalho não autorizada, desde que a Lei SB1070 começou ser aplicada, em 2010.

Já no Alabama os resultados foram piores, pois muitos investidores deixaram de aplicar dinheiro em "um estado considerado hostil para imigrantes". Como resultado, o Governador Robert Bentley recuou em seu apoio à aplicação da dura lei.

Com o cancelamento de parte da lei, ativistas de todo o país manifestaram o seu apoio, por acreditar que ela estava prejudicando a economia do Arizona e promovendo o ódio racial. Mesmo assim alguns grupos criticam a posição do Tribunal em ter derrubado somente alguns pontos e deixado que o estado continue aplicando outros, tais como a exigência dos policiais em verificar o "status" das pessoas.

Segundo a diretora da Massachusetts Immigrant and Refugee Advocacy Coalition (MIRA), Eva Millona, esta decisão pode incentivar outros estados a aplicarem a lei de forma parcial, permitindo que seus policiais possam agir da mesma maneira e checar o "status" dos imigrantes. "Os nossos governantes estão frustrados com o fracasso, no Congresso, de uma reforma imigratória", explica.

A diretora do Center for Immigration Studies, Jessica Vaugham, pensa da mesma maneira e acrescenta que "outros estados tentarão aprovar leis como esta, já que o Supremo bloqueou apenas parte dela".

Mas o Governador de Massachusetts, Deval Patrick, criticou a lei e adiantou que vai vetar qualquer projeto similar. O estado é conhecido por ter uma forte população imigrante e seu governante combater qualquer ato que promova a perseguição destas pessoas.

A preocupação maior é que esta lei possa aumentar a discriminação racial, pois vários casos têm sido anotados em todo o país. No ano passado, o Departamento de Justiça descobriu que policiais em East Haven, Connecticut, estavam abordando constantemente imigrantes latinos nascidos nos Estados Unidos, pelo simples fato deles não terem o perfil de um cidadão norte-americano.

O vereador em Boston (MA), Felix Arroyo, disse que apoia qualquer boicote à lei do Arizona e salientou que a aplicação de medidas semelhantes continuarão acontecendo, até que o governo federal tome uma posição sobre o assunto e consiga promove uma ampla reforma imigratória.

Fonte: Brazilian Times

Top News