Publicado em 9/07/2012 as 12:00am

Secure Communities prende cidadão norte-americano

Um especialista em informática, está processando o FBI e o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, após um programa de compartilhamento de impressão digital tê-lo identificado como um imigrante indocumentado e as autoridades ordenaram que el

da redação

Um especialista em informática, está processando o FBI e o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, após um programa de compartilhamento de impressão digital tê-lo identificado como um imigrante indocumentado e as autoridades ordenaram que ele fosse detido em uma prisão de segurança máxima.

Esta é a primeira ação movida por um cidadão dos EUA contra o controverso programa "Secure Communities", que a administração Obama expandiu em todo o país, mesmo enfrentando objeções de grupos de defesa da imigração e governadores democratas em Illinois, New York e Massachusetts.

James Makowski, um residente de Chicago, que trabalha na reparação de redes de computadores para empresas, havia assumido a culpa, em dezembro de 2010, pela acusação de venda de heroína, e foi condenado a quatro meses de prisão e participar de um programa de tratamento de drogas.

Mas quando a impressão digital de Makowski foi coletada, ele foi acusado de ser um imigrante indocumentado e foi detido por dois meses em uma prisão de segurança máxima em Pontiac, Illinois. Depois os funcionários da imigração reconheceram o erro e cancelaram a ordem de detenção. "Todo mundo comete erros e eu cometi o meu e pague", disse Makowski, 24 anos.

Mas segundo ele, é escandaloso quando o governo detenha um cidadão dos EUA, sem justificação. Makowski nasceu na Índia e foi adotado por uma família norte-americana em New Jersey, quando ele tinha apenas 4 meses de idade. A família se mudou para Illinois.

Makowski se tornou um cidadão naturalizado nos EUA com a idade de 1 ano, mas o governo não atualizou os seus registros de imigração, de acordo com o advogado do imigrante, Mark Fleming.

A ação busca culpar o Governo pelos danos causados ao cidadão, além de morais, financeiros.

Os advogados do governo estão avaliando o processo, segundo informou Brian P. Hale, porta-voz do escritório da Imigração.

O programa foi iniciado pelo presidente George W. Bush, em 2008, e o FBI enviou mais de 16 milhões de impressões digitais no banco de dados de imigração desde então. Mais de 900 mil foram identificadas como violadores de leis imigratórias.

Fonte: Brazilian Times

Top News