Publicado em 28/11/2012 as 12:00am

Democratas querem reforma imigratória em janeiro de 2013

Os senadores democratas planejam rever, em caráter de urgência, a reforma imigratória, assim que o presidente Barack Obama for empossado em seu segundo mandato

Os senadores democratas planejam rever, em caráter de urgência, a reforma imigratória, assim que o presidente Barack Obama for empossado em seu segundo mandato

da redação

Os senadores Democratas irão rever a reforma imigratória no primeiro mês de 2013, assim que o presidente Barack Obama for empossado em seu segundo mandato. A informação foi dada por algumas fontes do partido democrata e funcionários do Senado norte-americano. A intenção pe preparar um projeto que alcance, também, os interesses dos republicanos.

A reforma imigratória ganhou força e mais apoio depois da reeleição de Obama, pois mostrou que o voto imigrante tem uma grande influência nas decisões do país. Logo, tanto democratas quanto republicanos querem conquistar este reduto eleitoral. Para os senadores, este é o momento mais adequado para introduzir o projeto.

O senador Chuck Schummer (D-NY), que preside o subcomitê de imigração, afirmou que está bastante otimista. Ele ressaltou que muitos republicanos perceberam que a posição de "anti-imigrantes" não estavam lhe trazendo nenhum benefício.

Mas diante de todos os comentários e afirmação de pessoas ligadas ao senadores, uma fonte que trabalha no Senado informou que a reforma abrangente não acontecerá imediatamente, mas vai começar assim que o presidente for empossado. Segundo este funcionário, que omitiu seu nome, o "Dream Act, que daria status legal para estudantes indocumentados, será incorporado ao projeto.

Mesmo o presidente Obama tendo afirmado, em seu primeiro discurso, que dará prioridade à reforma, a sua atual administração tem sido um pouco tímida em falar do assunto e não o vê como parte da lista de prioridades. Mas os futuros conselheiros afirmam que promover mudanças nas leis de imigração é sim muito importante para o país. "Eu prometo que tentarei impulsionar o projeto ainda no primeiro ano do próximo mandato", disse o presidente.

Fonte: Brazilian Times