Publicado em 25/02/2013 as 12:00am

EUA já liberaram 5.098 Autorizações de Trabalho para brasileiros

O Departamento de Imigração dos Estados Unidos divulgou nesta semana um relatório informando que no dia 17 de janeiro o órgão registrou a liberação de 154.404 para pedidos para o "Deferred Action", que permite a liberação de Autorização de Trabalho para q

da redação

O Departamento de Imigração dos Estados Unidos divulgou nesta semana um relatório informando que no dia 17 de janeiro o órgão registrou a liberação de 154.404 para pedidos para o "Deferred Action", que permite a liberação de Autorização de Trabalho para quem chegou ao país com menos de 15 anos de idade e ainda não completou 30. Entre os agraciados estão milhares de brasileiros, dos quais 5.098 já foram aprovados.

O presidente Barack Obama assinou, em junho do ano passado, uma Ordem Executiva na qual criou um projeto similar so Dream Act, que permitiu a milhares de jovens indocumentados o caminho para se tornar "legal" neste país. Com a nova medida, todos aqueles que se encaixarem em alguns exigências imposta pelo governo, entre elas ter entrado no país antes dos 15 anos de idade e ainda não ter completado 31.

Até o momento, o Governo já recebeu 400 mil solicitações de Autorização de Trabalho baseadas nesta Ordem. Estimativas do Governo apontam que em torno de 1,7 milhões de jovens indocumentados chegaram ao país antes dos 15 anos e podem estar elegíveis para o "Deferred Action".

Os estados que mais apresentaram pedidos aprovados para Autorização de Trabalho baseado na Ordem executiva são: Califórnia (110.230), Texas (63.455), New York (23.389), Illinois (19.736) e na Flórida (18.470). Já os países que mais tiveram jovens aplicando são: México (290.019), El Salvador (16.824), Honduras (10.882), Guatemala (9904), Peru (5974), Coréia do Sul (5354), Brasil (5098), Colômbia (4503) e Equador (4386).

Esta medida permite que o jovem possa, legalmente, trabalhar e estudar nos Estados Unidos pelo período de dois anos. Este pedido pode ser renovado após o seu vencimento.

Fonte: Brazilian Times

Top News