Publicado em 27/03/2013 as 12:00am

Casa Branca desmente acusações de senador sobre imigração

A Casa Branca rechaçou nesta segunda-feira (25) as acusações do senador republicano do Texas, Ted Cruz, de que o presidente Barack Obama na verdade deseja que a reforma imigratória não se realize e sirva como arma eleitoral em 2014 e 2016.

Senador Ted Cruz, republicano do Texas, disse que o presidente Barack Obama na verdade quer que a reforma imigratória fracasse

da redação

A Casa Branca rechaçou nesta segunda-feira (25) as acusações do senador republicano do Texas, Ted Cruz, de que o presidente Barack Obama na verdade deseja que a reforma imigratória não se realize e sirva como arma eleitoral em 2014 e 2016.

"Não há provas que respaldem essas acusações. O que o presidente tem dito há bastante tempo é que ele acredita que uma reforma imigratória integral convém aos interesses da economia dos Estados Unidos", disse o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest.

Essa reforma demonstrará que "não só somos uma nação de imigrantes como também uum nação de leis. E o que estamos buscando é uma legislação que se prenda aos princípios oferecidos pelo presidente", explicou.

Earnest destacou que Obama estaria "muito entusiasmado" se esses princípios, delineados durante um evento em Las Vegas (Nevada) em janeiro passado, obtivessem um "forte apoio bipartidário" quando forem apresentados em um projeto de lei no Senado.

A Casa Branca está "satisfeita" com os progressos no debate imigratório no Senado e Obama mantém suas esperanças de que a reforma imigratória seja aprovada com apoio bipartidário no Congresso para assiná-la "o mais cedo possível", enfatizou Earnest.

Desta forma, o porta-voz rebateu as acusações feitas por Cruz durante uma entrevista no último final de semana para o diário texano Dallas Morning News, na qual afirmou que Obama na verdade quer que a reforma fracasse para que os democratas a usem como arma eleitoral.

"Sua conduta sobre imigração me faz crer que o objetivo é ter um tema político em vez de aprovar um projeto de lei", queixou-se Cruz, apoiado pelo movimento conservador "Tea Party".

"O que se quer é que o projeto de lei fracasse para poder usá-lo como tema político em 2014 e 2016. Por isto acredito que o presidente está insistindo em uma via para a cidadania para aqueles que estão aqui ilegalmente, porque ao insistir nisto assegura que a Câmara de Deputados rechace qualquer projeto de lei de reforma imigratória", assegurou Cruz.

Mas a versão da reforma imigratória que o Senado está estudando somente busca abrir uma via para a legalização e eventual cidadania dos onze milhões de imigrantes indocumentados, mas não de forma automática.

No plano discutido pelo chamado "Grupo dos Oito" do Senado, que ainda não apresentou um projeto de lei formal, os indocumentados receberiam uma permissão temporária mas teriam de esperar dez anos para obter o "green card" de residência permanente e outros três para solicitar a cidadania."

Durante uma cerimônia de naturalização de 15 estrangeiros civis e 13 das Forças Armadas na Casa Branca, Obama voltou a insistir na urgência de uma reforma imigratória que acolha os imigrantes.

Diante de uma importante representação de imigrantes latino-americanos, Obama assegurou que vê em cada um deles o "verdadeiro espírito dos Estados Unidos.

Fonte: acheiusa.com

Top News