Publicado em 19/04/2013 as 12:00am

Senadores apresentam \"Reforma Imigratória\"

Após dois meses em negociação, finalmente o grupo formado por oito senadores apresentou o projeto para uma reforma nas leis de imigração dos Estados Unidos.

Na manhã de quarta-feira (17), alguns pontos do documento foram divulgados pela "gangue dos 8", como eles ficaram conhecidos.
Esta reforma tem sido considerada uma das mais importantes do país depois da anistia concedida no governo de Ronald Reagan, em 1968. Caso este projeto venha ser aprovado, será responsável pela legalização demais de 11 milhões de imigrantes. A proposta elimina o sistema atual de vistos por diversidade geográfica, limita o reagrupamento familiar e implementa um novo modelo de imigração em função dos interesses econômicos do país, com cotas de trabalhadores por setores.
Esta reforma é ainda mais ampla, pois agora impõe com condição um complexo leque de medidas de segurança na fronteira com o México, incluindo a ampliação e o reforço da barreira e a obrigação para o governo federal de capturar 90% dos indocumentados que tentam cruzar as áreas de alto risco.
Atualmente, pouco mais de um terço da fronteira, de 3.140 quilômetros, conta com cercas, mas o documento propõe a ampliação com uma barreira dupla e até tripla se necessário. Mais de cinco mil pessoas morreram nos últimos 15 anos na fronteira, segundo a Comissão Nacional Mexicana de Direitos Humanos.
Os senadores propõem um status de “Imigrante Registrado Provisório” (RPI, na sigla em inlês) para os indocumentados.
Para criar o status, no entanto, a Secretaria de Segurança Nacional (DHS, na sigla em inglês) deverá demonstrar que as medidas de segurança estão funcionando, com dados de capturas e prazos de aplicação de qualquer nova estratégia de segurança na fronteira.
Além disso, o governo deverá demonstrar que “implementou um sistema obrigatório de verificação de emprego”, com um prazo de cinco anos para os empresários.
O sistema de comprovação de identidade, que já está em vigor, mas que até agora é voluntário, será reforçado com a criação de um cartão de trabalhador estrangeiro com dados biométricos, uma novidade nos Estados Unidos. Uma vez comprovado a segurança e os controles dentro do país, os imigrantes sem documentos, que demonstrarem que estavam no país antes de 31 de dezembro de 2011, poderão solicitar o RPI. Com informações da “AFP” e “CNN”.

legenda
Os senadores propõem um status de “Imigrante Registrado Provisório” (RPI, na sigla em inlês) para os indocumentados.

Fonte: Brazilian Times