Publicado em 22/05/2013 as 12:00am

Comitê Judiciário do Senado aprova plano de reforma imigratória

O projeto inclui a Cidadania para milhões de imigrantes que vivem ilegalmente nos EUA

O projeto inclui a Cidadania para milhões de imigrantes que vivem ilegalmente nos EUA

da redação

O Comitê Judiciário do Senado aprovou na noite de terça-feira (21), por 13 votos a favor e cinco contra, o plano de imigração apresentado pela "Gangue dos 8". O projeto de lei S. 744 foi apresentado ao Comitê da segunda semana de abril e recebeu mais de 300 emendas, a maioria com vista a modificar o caminho para a cidadania de milhões de imigrantes indocumentados.

Depois de cinco intensos debate em quase três semanas, a iniciativa se esquivou de várias tentativas de desarmá-lo, empurrando agora para o Senado, que o debaterá em junho.

Ao saber o resultado final, muitos na platéia, incluindo os imigrantes que serão beneficiados com a reforma da imigração, gritavam "Yes We Can", "Yes We Can" e "Leahy, Leahy", referindo-se ao presidente do Painel Judicial, o senador Patrick Leahy (D-Vertmont).

Ainda neste verão, o projeto poderia tornar-se a primeira reforma abrangente da imigração em quase três décadas. O anterior foi aprovado em 1986 durante a administração do republicano Ronald Reagan e favoreceu cerca de 3 milhões de imigrantes indocumentados.

A maioria das alterações aprovadas durante as discussões das últimas semanas estavam com amplo apoio bipartidário. O mesmo apoio foi usado para rejeitar as alterações que visavam, várias delas, dificultar o caminho para a cidadania para os indocumentados.

Após a aprovação pela Comissão, o presidente Barack Obama disse que espera que o Senado discuta o mais rápido o projeto.

ASSUNTO

O plano de reforma da imigração da "Gangue dos 8" fala sobre o reforço na segurança nacional (segurança das fronteiras, verificação de emprego e imigração legal) e abre um caminho para a cidadania para os indocumentados.

Os imigrantes, para se qualificar, deverão provar que eles estão nos Estados Unidos desde antes de 31 de dezembro de 2011, pagam seus impostos e não tenham antecedentes criminais. Deverá, também, apresentar as suas impressões digitais para o Departamento de Segurança Interna (DHS) e cancelar multas, entre outros requisitos.

Uma vez autorizado a receber o "status de não-imigrante", que poderá durante entre 10 a 13 anos, o imigrante poderá requerer a residência permanente legal ou Green Card, como é chamado. Três anos depois, pode começar a aplicar para a cidadania. Ou seja, todo o processo poderá durar 15 anos até que o imigrante se torne um cidadão norte-americano.

Durante o tempo de permanência como o imigrante privilegiado pela reforma de imigração, o imigrante receberá uma autorização de trabalho, terá a deportação suspensa e direito de administrar uma autorização de viagem para sair e entrar novamente nos Estados Unidos.

Fonte: Brazilian Times