Publicado em 28/06/2013 as 12:00am

Reforma imigratória é aprovada pelo Senado

Reforma imigratória é aprovada pelo Senado

da redação

Os senadores aprovaram um projeto abrangente que reformula as leis de imigração nos Estados Unidos, que inclui um caminho para a legalização de 11 milhões de imigrantes

Por 68 votos a favor e 32 contra, foi aprovado pelo Senado, nesta quinta-feira (27), o projeto de Reforma Imigratória apresentado pela “Gangue dos 8″, formado por quatro senadores democratas e quatro republicanos. O documento segue agora para o Congresso, onde será avaliado e discutido pelos deputados, cuja a maioria ainda está relutante em aprovar.

Segundo o presidente da Câmara dos Deputados, John Boehner, a dificuldade maior será conquistar o apoio dos seus colegas republicanos, que permanecem resistente e não querem conceder a legalização dos imigrantes que vivem ilegalmente no país.

Após a aprovação da lei na quinta-feira, o presidente Barack Obama afirmou que o resultado é um grande passo para os EUA, pois abre caminho para corrigir o sistema de imigração que está defasado. “Hoje, o Senado fez o seu trabalho”, disse Obama em um comunicado. “Cabe agora à Câmara fazer o mesmo”, continua.

A reforma imigratória é um compromisso firmado por Obama em seu segundo mandato e ele clama aos legisladores que aprovem o projeto até o próximo outono, que inicia dia 21 de setembro e termina dia 21 de dezembro.

Durante a votação, na quinta, o líder da maioria no senado, Harry Reid, pediu para que todos os senadores ocupassem suas mesas, pois o assunto era para ser tratado com atenção. Após a votação, os membros da “Gangue dos 8″ agradeceram a ampla coalizão e apoio recebido para o projeto.

Um membro do grupo, o senador democrata Dick Durbin, disse que as vozes de jovens imigrantes indocumentados “fez a diferença”.

O senador republicano Lindsey Graham afirmou que as medidas de segurança de fronteira existente no projeto de lei “tinha ultrapassado todas as suas expectativas”. Segundo ele, o documento “praticamente militarizou a fronteira”.

Esta aprovação aconteceu logo depois que dois senadores republicanos intermediaram um acordo para aumentar os gastos com a segurança na fronteira em US $ 38 bilhões. Esta alteração à lei acrescentou um adicional de 20 mil agentes de fronteira de segurança, novas cercas, vigilância eletrônica e aviões não tripulados. A emenda foi aprovada na quarta-feira (26).

O deputado Boehner disse que a Casa não vai aceitar o projeto do Senado diretamente. “Nós vamos fazer o nosso próprio projeto de lei, que reflete a vontade da nossa parte e do povo americano”, disse ele.

O problema é que uma grande parte dos deputados republicanos acreditam que um caminho para a cidadania recompensará aqueles que infringiram a lei por entrar no país ilegalmente. O senador Chuck Grassley, que votou contra o projeto do Senado, disse que está contando que a Casa a aprove uma legislação “muito mais dura”.

 

Fonte: Brazilian Times