Publicado em 26/07/2013 as 12:00am

Deputados entram em recesso e Reforma Imigratória fica parada

Deputados entram em recesso e Reforma Imigratória fica parada

da redação

A Câmara de Representantes apresentará em setembro próximo sua versão da reforma imigratória e esta será "mais ampla e generosa" no que se refere à reunificação familiar, disse em entrevista à agência de notícias Efe o deputado democrata de Illinois, Luis Gutiérrez (foto).

"Vai muito bem. Estamos simplesmente resolvendo a linguagem adequada que reflete os acordos aos quais chegamos, e acredito ser apropriado que seja apresentado em setembro. Creio que é o melhor momento", disse Gutiérrez, membro do grupo negociador na Câmara Baixa.

"O projeto de lei já está redigido, quase todos seus componentes. Sim, há algumas partes que ainda temos de esclarecer, mas é muito pouco", assegurou Gutiérrez, sem precisar quais são estas áreas.

No entanto, adiantou que, assim como a reforma imigratória aprovada pelo Senado no mês passado, o plano de reforma da Câmara Baixa também terá multas para o processo de legalização dos onze milhões de imigrantes indocumentados.

"Neste sentido é similar ao programa do Senado, mas também há espaço e tempo para fazer os pagamentos. Creio que devemos enfatizar que há um caminho para a legalização, a ter documentos, carteiras de motorista", enfatizou Gutiérrez.

O deputado democrata, que é recebido como "herói" nas comunidades imigrantes de todo o país, elogiou o fato de o projeto de lei em gestação dar "garantias" para tirar da sombra os indocumentados, ao lembrar que "são deportados 1,200 por dia, e 400,000 por ano".

Pressionado sobre o alcance e o conteúdo do projeto de lei, Gutiérrez disse que, a seu ver, tem "seções e cláusulas que serão mais gratificantes para a comunidade do que a iniciativa do Senado. Mais ampla e mais generosa em termos de ajuda para unificar nossas famílias imigrantes", destacou Gutiérrez.

Por outro lado, Gutiérrez elogiou o trabalho dos estudantes indocumentados, conhecidos como "Dreamers", ao assinalar que "o fato de estarem lutando não só por eles, mas também por seus pais, é um indício do tipo de unidade que temos..Isto nos levará ao êxito".

Gutiérrez efetuou estas declarações ao concluir sua participação em um fórum comunitário sobre a reforma imigratória durante a conferência anual do Conselho Nacional de La Raza (NCLR), em New Orleans (Louisianna).

Durante o fórum, Gutiérrez e outros participantes do painel de renome nacional analisaram os imperativos econômicos, políticos e morais para que o Congresso aprove de uma vez uma reforma imigratória integral.

"Precisamos lutar pelos direitos legais plenos. Como membros da comunidade nativoamericana, sabemos o que significa ser tratado como cidadãos de segunda classe", disse Julie Kitka, presidente da Federação de Nativos do Alasca.

A estrategista republicana Ana Navarro disse ser urgente "desbancar os mitos e as percepções equivocadas" a respeito dos imigrantes latinos, embora tenha reconhecido que os republicanos também precisam aproximar-se mais desta minoria.

"É importante não perder de vista que a meta é conseguir a legalização e a cidadania, não importa quanto tempo leve", afirmou.

Clarissa Martínez, moderadora do fórum e especialista em assuntos imigratórios do NCLR, disse que agosto será um mês chave para continuar pressionando pela reforma, em particular os parlamentares de uns 26 distritos conservadores.

"Agosto será chave, não podemos deixar de atrofiar os músculos (o ativismo), e é importante lembrar que todos os distritos eleitorais estão afetados", observou Martínez.

A campanha de pressão, da qual participa uma vasta coalizão de grupos pró-reforma de toda a sociedade, inclui visitas aos parlamentares, chamadas telefônicas e fóruns comunitários, entre outros eventos.

Uma das participantes do fórum, Luz María Ayala, disse que os republicanos têm de "analisar a realidade e o que vale a comunidade" latina.

"Somos uma potência econômica, política e social. Somos gente trabalhadora, e estamos dando muita riqueza a este país; não estamos aqui vivendo de graça", sublinhou Ayala, que oferece ajuda a imigrantes no condado do Valle Imperial, na Califórnia.

O encontro de quatro dias do NCLR, que contou com mais de 40 reuniões sobre os assuntos mais prementes da comunidade latina, concluiu-se com um discurso da primeira-dama, Michelle Obama, focado na saúde infantil. Ela aproveitou para reforçar o apoio dela e do presidente Barack Obama à reforma imigratória e exaltou a plateia a continuar lutando por isto.

O NCLR escolheu pela primeira vez a cidade portuária, conhecida como "Crescent City" ou "Big Easy", para destacar o importante papel dos trabalhadores latinos na reconstrução e no renascimento de New Orleans, devastada pelo furacão "Katrina" em agosto de 2005.

Fonte: Brazilian Times

Top News