Publicado em 1/08/2013 as 12:00am

Republicanos pegam pesado para aprovar a reforma imigratória ainda este ano

Republicanos pegam pesado para aprovar a reforma imigratória ainda este ano

Apesar da estratégia republicana de passar aos poucos a reforma da imigração, o senador John McCain previu hoje que a legislação pode passar na Câmara dos deputados, que é controlada pelos republicanos.

 

"Eu acho que o próximo outono é muito importante", disse McCain em um fórum organizado pela AFL-CIO e do Instituto de Política Econômica. "É muito importante porque nós entramos em 2014 - o próximo ciclo eleitoral. Acho que a questão realmente amadureceu a tal ponto que a maior parte dos americanos estão conscientes do assunto, e agora é a hora que teremos que agir ou não"

 

McCain já havia dito na PBS, na última segunda feira, que se a reforma da imigração não for aprovada, o “Partido Republicano nunca mais vai ganhar uma eleição nacional.”O senador republicano afirmou que “os republicanos não vão ganhar nenhum voto latino com a aprovação da reforma imigratória, porém, vão colocá-los em posição de pelo menos competir pelo eleitor em posição mais vantajosa.” Ele acredita que a maior polarização dos eleitores hispânicos e os dados demográficos apontam que o Partido Republicano não pode ganhar nenhuma eleição nacional, e que isto é um fato.”

 

Mesmo acreditando que a reforma será uma “anistia de fato, porque os imigrantes não vão ter que deixar o país”, ele viu em pesquisas e pela sua experiência, que a maior parte dos americanos apoiam o caminho para a cidadania, desde que os indocumentados paguem uma multa, aprendam a falar inglês e sejam os últimos da linha na espera pela cidadania.”

O senador disse que “nunca viu um apoio tão amplo para um assunto em toda sua carreira política” e que “são muitos e diversos os grupos e comunidades que apoiam a reforma imigratória.”, e que este apoio deverá ser fundamental para a aprovação do projeto, e que os republicanos tem que trabalhar bem e rápido a questão.

 

O congressista Xavier Becerra, D-Calif., Concordou com McCain, acrescentando que não só ele vê a reforma sendo aprovada, mas passando com um caminho para a cidadania.

"Acredito firmemente, mais do que eu já senti nos últimos 20 anos em que tenho o privilégio de servir como representante do povo, de que este é o ano que vamos aprovar a reforma imigratória, eu conto que os songressistas vão colocar o País à frente dos partidos”, disse Becerra . "Eu acho que se o projeto de lei do Senado aprovado há algumas semanas atrás fosse colocado hoje para votação, ele teria uma aprovação bi-partidária. Poderemos acabar trabalhando em um projeto de lei que é uma versão da Câmara derivado de reforma da imigração. Mas eu acho que, de qualquer forma, vai incluir o caminho para a cidadania.”

 

"Se você reconhecer que todos concordam que devemos abordar a segurança na fronteira e é que isso é bom para o nosso país, não há nenhuma razão para que nós não devemos fazer algo que é bom para a nossa economia, bom para o nosso país e, por fim, que permite que milhões de pessoas parem de viver nas sombras", disse ele.Becerra acrescentou que eles tem tentado dar ao presidente da Câmara John Boehner "a oportunidade de abrir a porta. Afinal a Câmara tem que ver o que o Senado viu, ou seja, a oportunidade de corrigir esse quebrado sistema de imigração”, disse ele.

McCain, senador pelo Arizona, argumenta de forma consistente que a fronteira já é segura, e admitiu que a emenda de última hora, da adição de 20 mil novos agentes de patrulha de fronteira, é desnecessaria e cara e foi uma concessão exclusivamente para reunir mais votos.

"Nós não precisamos de 20 mil agentes de controle de fronteira adicionais", disse ele. "O que precisamos é usar a tecnologia que tem sido desenvolvida, onde podemos examinar a fronteira de forma mais eficaz. Eu votei a favor para que meus amigos fiquem tranquilos que estamos garantindo a fronteira. Mas o verdadeiro seguroda fronteira é a tecnologia, e não mais pessoas".

 

Ele disse que, em comparação com 1986, quando havia apenas 4.000 agentes que trabalham na fronteira, hoje existem 21 mil agentes, e a fronteira já está mais segura do que na última reforma da imigração."A fronteira esta comprovadamente mais segura. E qualquer um que disser que não, eu gostaria de levá-lo até lá para mostrar a ele a realidade da segurança", disse ele.

 

"Eu acredito na América e eu acredito que no final das contas, vamos fazer a coisa certa", disse ele. "Nós não vamos nos envolver em retóricas desprezíveis, nós vamos é falar sobre a grandeza da América." Afirmou o senador ao rebater as críticas sem fundamento de alguns deputados.

 

Somente hoje, mais de 100 contribuintes republicanos enviaram uma carta aos membros do partido no Congresso pedindo a reforma da imigração."Nós escrevemos para apoiá-los a tomar medidas para corrigir nosso quebrado sistema de imigração", diz a carta. Ele chama para a segurança das fronteiras, fornecendo uma maneira legal para as empresas contratarem trabalhadores legais e fornecer um caminho para "estatuto de legalidade".

 

Uma segunda carta, assinada por mais de 400 membros da indústria, incluindo a Câmara de Comércio dos EUAfoi enviada a todos os membros da Casa também instando o Congresso "para aprovar uma legislação que traria reformas significativas para componentes críticos do sistema de imigração de nossa nação."

 

"Falha de agir não é uma opção", diz a carta. "Não podemos nos dar ao luxo de ver um sistema falho com mais de uma geração de idade, trabalhar mais e mais contra os interesses gerais da nação”.

Fonte: Brazilian Times