Publicado em 25/11/2013 as 12:00am

Líder dos deputados recua: Refoma Imigratória não está morta

Líder dos deputados recua:"Refoma Imigratória não está morta"

John Boehner, presidente da Câmara dos Deputados, apresenta esperanças por uma reforma imigratória, mas em pedaços

 

Da redação

Peru e vinho Merlot produzidos por indocumentados. Com esta ceia, um grupo de ativistas se apresentou esta semana no gabinete do presidente da Câmara de Deputados, John Boehner, para pressionar pela reforma imigratória. E o deputado republicano de Ohio lhes respondeu assegurando que a reforma imigratória não está morta.

As declarações de Boehner vieram uma semana depois dele próprio fechar as portas para a reforma imigratória. O chefe da bancada republicana havia dito que não haveria conversas formais sobre o projeto de reforma imigratória aprovada pelo Senado em 27 de junho e que inclui a cidadania para 11 milhões de indocumentados.

Mas, agora, Boehner recuou. “A reforma imigratória está morta?”, perguntou-se Boehner diante dos jornalistas e ativistas. “Claro que não”, respondeu cortante e até assegurou que sua Câmara continua trabalhando e que não abandonaram o tema que dominou durante muito tempo o calendário do Congresso.

“Creio que o Congresso tem de lidar com isto”, disse Boehner. “Nossos comitês continuam fazendo seu trabalho. Há um monte de conversas privadas que estão em andamento para averiguar qual é a melhor maneira de nos movermos em uma mesma direção, passo a passo para enfrentar este tema tão importante.

Porque é um tema muito importante”, acrescentou.

A resposta de Boehner foi dada quando um grupo de ativistas pró-reforma imigratória invadiu seu gabinete com um peru e uma garrafa de vinho Merlot, o favorito do deputado, com o objetivo de destacar o trabalho feito pelos indocumentados, que produzem majoritariamente estes productos, e pressioná-lo para que impulsione a aprovação da reforma na Câmara de Deputados onde está parada.


Ação de Graças

Os ativistas escolheram o peru para oDia de Ação de Graças que se celebra no dia 28 de novembro. Também, como um gesto para demonstrar que enquanto muitos desfrutarão destas festas, há 11 milhões de indocumentados em risco. Inclusive, muitos deles terão de trabalhar neste dia para poder manter suas famílias.

Além de Boehner, o líder republicano Eric Cantor (Virgínia), Kevin McCarthy (Califórnia), a republicana Cathy McMorris Rogers
(Washington), Steve King (Iowa) e outros republicanos também receberam seus perus para lembrá-los como os indocumentados
trabalham exaustivamente.

María Ramírez, uma imigrante que trabalha na vinícola de Benton, no estado de Washington, também destacou o seu esforço e o de seus colegas: “Nosso trabalho é difícil, mas gostamos de produzir o vinho que tantos americanos apreciam.

Estou aqui hoje porque a luta que nossas famílias têm de ganhar para um novo processo de imigração é muito importante. Fazemos nosso trabalho para que outros possam desfrutar do vinho. Agora, queremos que Boehner e os líderes republicanos façam seu trabalho”.

O grupo de ativistas, formado por trabalhadores rurais, sindicalistas e defensores dos imigrantes, não só levaram peru e vinho como também um cartaz intitulado “Façam seu trabalho”.

Esther Lopez, diretora de Direitos Civis e Ação Comunitária do United Food and Commercial Workers International Union (UFCW) disse: “Na UFCW estamos orgulhosos de por comida nas mesas dos EUA, não só no Dia de Ação de Graças, como em todos outros dias. Nossos membros trabalham duro – às vezes em condições adversas–para oferecer excelentes produtos para nossas comunidades.

Os trabalhadores fazem seu trabalho. É hora de o Congresso fazer o mesmo. Queremos um voto para a reforma imigratória”.

Fonte: Brazilian Times