Publicado em 3/01/2014 as 12:00am

Ativista faz campanha pra negar benefícios públicos aos imigrantes

"Temos que cortar qualquer ajuda para os indocumentados" afirma ativista anti-imigrante em Framingham - MA

Conhecido pela comunidade imigrante de Massachusetts pelo seu posicionamento contra os indocumentados no município de Framingham ? MA, o ativista Joe Rizoli nessa semana, fez um apelo público no jornal Metro West Daily News, urgindo que o município retire do orçamento uma verba destinada a promover aulas de inglês para adultos. O jornal contatou o polêmico ativista, que se autointitula 'inimigo número 1' dos brasileiros em Framingham, com a seguinte questão: "Qual programa do municipio deveria ser cortado para ajustar o orçamento e aliviar o bolso dos contribuintes?". Rizoli, que considera os imigrantes o principal problema a ser combatido na região Metrowest, foi direto em responder, escrevendo um manifesto anti-imigrante em resposta. "Deixa eu ver o que podemos cortar....porque não aquele programa que oferece aulas de inglês para indocumentados e que custa dezenas de centenas de dólares em impostos federais e estaduais?" respondeu Rizoli. " Esse programa tem pelo menos 70% de beneficiários que são indocumentados e que recebem essa assistência financiada pelos contribuintes quando eles não deveriam estar recebendo ajuda alguma". Exaltado, ele não economizou em argumentos pra defender a sua tese de que o programa deve ser cortado em sua totalidade, e Rizoli não mediu palavras para afirmar quem deve ser culpado por essa situação. "Você perguntou o que deveria ser cortado e eu estou lhe dizendo. Mas os políticos liberais acéfalos, que adoram doar dinheiro nesse munícipio continuam o programa em funcionamento. Todos os programas que ajudam imigrantes devem ser cancelados ou deveríamos mandar a conta final para os países de onde eles vem, incluindo os custos de saúde, escola, taxas judiciais, residências públicas, e tudo que beneficia eles. Se economizaremos dinheiro público com isso? Economizaremos milhões e milhões de dólares" afirma ele, sem nenhuma compaixão para com os indocumentados. O ativista afirma que já iniciou uma campanha para conscientizar o meio político acerca da sua proposta. " Eu já escrevi para o deputado estadual Chris Walsh sobre patrocinar ou escrever uma proposta de lei para botar as minhas sugestões em prática. Eu escrevi em novembro, mas nunca recebi uma resposta do deputado" diz ele, ressentido. " O município de Framingham continua a ignorer o custo que é lidar com os imigrantes indocumentados. Nós inclusive temos uma escola da qual 80% são brasileiros, boa parte indocumentada. Eu aposto que oa parte deles não nasceram aqui. O município pensa que esse é prédio 7 do 11 de setembro. Aparentemente, eles tem falhado em fazer as contas de quanto isso tem nos custado" finaliza Rizoli.

Fonte: (da redação)