Publicado em 29/01/2014 as 12:00am

Reforma Imigratória dos deputados não prevê legalização

Reforma Imigratória dos deputados não prevê legalização dos imigrantes

O projeto de reforma nas leis de imigração dos Estados Unidos elaborado pelos deputados não prevê a legalização dos imigrantes indocumentados. Alguns itens deste projeto foram publicados na internet e mostra claramente que a ideia dos legisladores é priorizar alguns pontos que não têm nada a ver com a legalização. O projeto não permite a abertura para a legalização até que algumas providências sejam cumpridas, entre elas a segurança na fronteira. Para os deputados, principalmente os republicanos, ainda falta muito para garantir que a região fronteiriça do país esteja protegida. Este tem sido um ponto bastante importante e que tem atrapalhado o andamento da "Reforma Imigratória". O polêmico projeto, que ainda não foi divulgado, exige que os imigrantes passem por um processo de "status probatório", onde reconheçam a culpa por "crimes imigratórios". Além disso, eles terão que pagar multas e impostos atrasados, "acertado a sua situação com a lei". Somente assim é que eles estarão aptos a requerer uma legalização provisória. Durante o processo de "status probatório", que pode durar anos, o imigrante ficará sob o total vigilância e se infringir a lei será deportado imediatamente. Outra exigência do suposto projeto de reforma imigratória é que os empregadores chequem o "status imigratório" de todos os seus funcionários. Também poderá constar a permissão para que os Estados possam escrever suas próprias leis de imigração. Desta forma, estado pró-imigrante poderão abrir mais as portas para esta comunidade e os anti-imigrantes, como o Arizona, terão liberdade de perseguir quem estiver ilegal. Os republicanos, principais autores deste projeto, teceram pontos importantes para conseguir o apoio dos democratas. Entre os itens chamados de "arapuca", está a eliminação de um item onde diz que o imigrante que ficar ilegal por mais de seis meses, deve cumprir um período de 3 anos fora dos EUA, e quem ficou por mais de 1 ano, deve ficar fora país por 10 anos. Também está na lista de arapucas para conquistar os democratas, agilizar os processos que permitem que cidadãos norte-americanos sejam "sponsors" de um parente imigrante. Assim, a ideia é diminuir o tempo para que isso aconteça.

Fonte: (da redação)