Publicado em 10/02/2014 as 12:00am

Fundador do Facebook critica oponentes à reforma imigratória

Fundador do Facebook faz denúncias graves contra oponentes à reforma migratória

O grupo de ativistas FWD.us, criado pelo fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, mudou a estratégia de apoio a reforma migratória lançando uma série de anúncios sobre o tema voltado ao eleitorado republicano. De forma mais direta e agressiva, os ativistas acusaram grupos poderosos de oposição à mudança do sistema atual de serem “extremistas ferrenhos” fantasiados de conservadores.

“Embora algumas vozes contra os imigrantes alegarem falsamente falar em nome dos conservadores e lançarem dúvidas sobre os princípios básicos, elas não representam a maioria do Partido Republicano: Pesquisas revelaram consistentemente que os eleitores das primárias do GOP apoiam a reforma do nosso sistema migratório ultrapassado”, escreveu o FWD.us em um memorando enviado a cada membro do Congresso com o título “Extremistas Ferrenhos Atrás dos Grupos Anti-imigrantes”.

Enquanto os grupos anti-imigrantes se preparam para pressionar os membros republicanos, novamente, para votarem contra a reforma, o FWD.us denunciou três desses grupos: MumbersUSA, o Center for Immigration Studies (CIS) e a Federation for American Immigration Reform (FAIR) com relação às suas táticas e retóricas.

O FWD.us escolheu seus oponentes cuidadosamente: Esses grupos, especialmente o formador de opinião NumbersUSA, receberam o crédito por minar os esforços do então Presidente Bush há uma década, quando o grupo mobilizou seus membros para inundarem o Congresso com mensagens de oposição. Desde então, o NumbersUSA cresceu mais ainda.

O ataque dos ativistas do FWD.us começou logo depois do final do recesso de inverno dos membros republicanos da Câmara dos Deputados ocorrido semana passada, durante o qual redigiram as diretrizes em que se basearão durante o processo de reforma migratória, a qual os grupos anti-imigrantes já se opõem.

O Facebook e outras companhias sediadas no Vale do Silício há muito tempo vêm defendendo a reforma migratória na esperança de que ela crie mais green cards (residência permanente) para profissionais estrangeiros altamente qualificados que eles buscam contratar. A Microsoft abriu escritórios no Canadá porque a companhia encontra mais facilidade em contratar funcionários estrangeiros no país vizinho.

Fonte: (da redacao)