Publicado em 18/07/2014 as 12:00am

Escritório Perez Gardini agrega ex-juiz de imigração à sua equipe

Ex-juiz Anthony Rogers será consultor e ajudará nos casos do escritório

Anthony Rogers é advogado há 37 anos, foi juiz de imigração por 18 anos, depois de ter sido piloto do Army e juiz militar por 26 anos e de ter desempenhando uma carreira sólida em Dallas, Texas. Com toda a sua experiência e prática de advocacia, principalmente na área de imigração, Anthony Rogers foi recentemente agregado ao escritório Perez Gardini, LLC – Attorneys com escritórios em Massachusetts e Flórida. “Como juiz militar, julgava todo tipo de crimes e delitos e como magistrado de imigração, o volume de casos era maior e sem dúvida alguma afetava muito a vida de famílias e indivíduos. Na perspectiva de um juiz ambas as áreas têm assuntos muito sérios, mas de perspectivas diferentes. Em imigração como disse, há um impacto direto nas famílias e em muitos casos as pessoas não tinham acesso a advogados ou estavam com má representação o que não acontecia na corte criminal no Army, onde sempre há boas representações legais”, diz Rogers.

O fato de o Texas ser um estado fronteiriço tem um volume maior de casos de imigração, não só de hispânicos, mas de pessoas do Oriente Médio, da África, da Europa e de todos os lugares do mundo, e os casos são tratados diretamente nas cortes, sendo que em grande parte estas pessoas são introduzidas nos EUA por coiotes ou traficantes de pessoas.

“Um volume muito alto de pessoas são trazidas pela fronteira pelos coiotes e no Texas não se gosta muito deles, porque são predadores, causam prejuízo e danos aos EUA, e estão sempre atrás de mais dinheiro, sem contar os abusos contra mulheres e jovens”, continua. Cabe ao um juiz de qualquer área praticar a justiça na sua plenitude, inclusive a que abrange imigração, tendo em vista que é prestado um juramento para julgar com retidão, mesmo quando a pessoa é julgada por estar aqui ilegalmente. “Não queria e nem tinha prazer em julgar uma pessoa por causa de imigração ilegal, mas era o meu trabalho e tinha de fazê-lo por causa do juramento e a lei nem sempre era favorável para as pessoas”, continua.

No auge da imigração através da fronteira com o México no meio dos anos 2000, Anthony Rogers chegou a processar cerca de cinco mil casos mensais de pessoas que foram apanhadas ou se entregaram na travessia e não compareceram na corte de imigração. Neste período somente uma média de 15 pessoas iam às cortes e para se ter uma ideia da quantidade de processos deve-se multiplicar cinco mil processos x 12 juízes, para ter um número de 60 mil casos num único mês.

O ex-juiz Rogers não aconselha a reentrada de pessoas que foram deportadas ou removidas dos EUA. “Há consequências criminais e de imigração e podem ser acusados pelo promotor criminal de reentrada ilegal e por isso podem ser condenados em penas de até 20 anos”, afirma.

“Imigração é coisa séria e devia ser levado a sério pelas pessoas”, diz Anthony Rogers, para quem as coisas relacionadas não devem ser desprezadas ou menosprezadas e a contratação de um advogado responsável e idôneo é o primeiro passo para não ter problemas e estar bem assessorado, pois um bom escritório tem geralmente advogados que vão cuidar para que o cliente se saia bem nestas questões. “Evitar crimes e problemas relacionados também ajuda bastante na hora de um julgamento numa corte de imigração”, diz Rogers.

Toda a experiência de Anthony Rogers como juiz militar criminal, como juiz de imigração e como advogado estão agora à disposição do escritório Perez Gardini, LLC – Attorneys que conta com profissionais de primeira linha em diversas áreas do direito, inclusive imigração, criminal, acidentes e outras modalidades do direito, para atender a comunidade imigrante que mesmo sendo indocumentada tem direitos legais e deve ser representada com dignidade e respeito. “Conheci o advogado Gardini quando trabalhava no Texas e ele sempre mostrou paixão e dedicação pelos seus clientes que iam à minha corte. Gardini se mudou para Massachusetts e eu me aposentei e nos encontramos anos depois e discutimos sobre como eu poderia ajudar e aqui estou construindo uma história junto com o escritório e com a tecnologia usada temos acesso imediato a qualquer situação e me dedico a consultoria e assessoria para os clientes do advogado Gardini que tem o meu respeito”, finaliza o juiz aposentado Anthony Rogers.

“Para nós, é um privilégio poder agregar todo o conhecimento e experiência do juiz Rogers ao nosso escritório e serviços e tenho a certeza de que todos os nossos representados ganharão em qualidade e dedicação”, disse o advogado Ludo Gardini sobre o advogado e juiz aposentado Anthony Rogers.

Fonte: Da Redação do Brazilian Times