Publicado em 28/07/2014 as 12:00am

Manifestantes protestam contra imigrantes em Boston

O manifesto foi organizado por um radialista canadense que já foi imigrante indocumentado

Centenas de manifestantes conservadores se reuniram diante da State House, na Beacon Hill, em Boston (Massachusetts) para realizarem um protesto anti-imigrante. O manifesto aconteceu no sábado (26) e o local ficou tomado por sentimentos que pediam a “expulsão” da comunidade indocumentada dos Estados Unidos.

Apesar de vários veículos de comunicação terem registrado que foram centenas de pessoas, os organizadores asseguram que este número foi de aproximadamente 10 mil. Os manifestantes carregavam cartazes que diziam “deportem os ilegais” e “Americanos antes dos ilegais”. O protesto iniciou às 11:00 a.m e seguiu até 1:00 p.m.

Mas segundo o principal organizador, o radialista canadense Jeff Khuner, disse que o objetivo maior pedir uma atitude diante do aumento de crianças que cruzam a fronteira ilegalmente. Ele ressaltou que a maioria destas pessoas eram membros de gangues em seus países de origem e podem gerar insegurança na comunidade.

Mas o próprio organizador já foi um imigrante indocumentado, pois chegou aos Estados Unidos em 1990, com um Visto de Trabalho. Em 2006 ele conseguiu o Green Card e atualmente está em processo de se tornar um cidadão dos EUA. “Eu não ouvi nenhuma posição dos políticos em relação à invasão das crianças imigrantes e repudio a atitude do governador Deval Patrick em abrir os braços para elas”, continua.

O Governo dos EUA relatou que diariamente crianças, sozinhas, atravessam a fronteira do país com o México e isso iniciou uma crise humanitária. O presidente Barack Obama pediu a Deval Patrick que ajudassem, acolhendo cerca de mil crianças durante quatro meses.

Ele ressaltou que crianças devem ter entre 4 e 6 anos de idade e as que estão atravessando a fronteira são adolescentes de 15 anos. “Logo não se trata de crianças e sim de jovens que já sabem o que fazem e estão se aproveitando da abertura que o Presidente deu”, continua.

O “ex-imigrante” comparou a chegada dos indocumentados à invasão japonesa ao Pearl Harbor durante a segunda Guerra Mundial. Ele ainda usou o nome de Deus para atacar os imigrantes, dizendo que “com Deus por trás de nós, não seremos derrotados”.

Fonte: Redação Brazilian Times