Publicado em 8/08/2014 as 12:00am

97 corpos de imigrantes são encontrados no Arizona

Os agentes que patrulham a fronteira dos Estados Unidos encontraram 97 corpos de imigrantes no deserto do Arizona nos últimos 10 meses.

Os agentes que patrulham a fronteira dos Estados Unidos encontraram 97 corpos de imigrantes no deserto do Arizona nos últimos 10 meses. O caso mais recente foi o de um jovem de 19 anos de idade. “Nós recebemos um chamado de um homem pedindo ajuda. Ele falou que estava cruzando as montanhas com o seu filho que foi atingido por um raio. Quando os agentes chegaram ao local, o rapaz estava morto”, disse Andres Adame, porta-voz do escritório da Patrulha Fronteiriça em Tucson.

Apesar do declínio no número de imigrantes que entram nos EUA através da fronteira e o número de prisões no Arizona, pessoas continuam morrendo no deserto. Isso porque quem se aventura na travessia enfrenta as altas temperaturas do verão e as tempestades que chegam rapidamente.

Segundo Andres, a maioria das mortes ocorre em áreas remotas de difícil acesso. “Se as pessoas caírem e se machucarem, elas são deixadas para morrer”, fala ressaltando que a opção de atravessar a fronteira pelas montanhas é a forma mais perigosa, pois fica difícil o resgate. “Eles fazem isso para evitar a fiscalização eletrônica”, continua.

Durante o ano fiscal de 2013, 200 corpos foram encontrados e no ano fiscal de 2014, que iniciou dia 1º de outubro passado, já foram achados 97 mortos. Esta redução se reflete também no número de prisões efetuadas. Enquanto que no corrente ano foram registradas 83.115 detenções, no ano anterior este número foi de 111.570.

As autoridades recomendam que as pessoas que se aventuram no deserto, devem levar um telefone, espelho e uma lanterna. “O reflexo do sol no espelho pode ser visto por um helicóptero, o telefone pode acionar o 911 (emergência) e a lanterna serve para mandar sinais durante a noite”, finalizou Adame.


Fonte: Redação Brazilian Times | Texto de Luciano Sodré