Publicado em 8/08/2014 as 12:00am

MA não vai abrigar crianças indocumentadas presas na fronteira

O HHS notificou a administração Patrick na terça-feira (5) que desde o início de julho o número de crianças em custódia caiu

As crianças desacompanhadas detidas ao tentarem entrar clandestinamente nos EUA através da fronteira com o México não ficarão temporariamente em Massachusetts. Depois de apelos emocionados feitos pelo Governador Deval Patrick por compaixão por parte de seu estado e manifestações realizadas por oponentes, a administração Obama notificou as autoridades estaduais na terça-feira (5) a sua decisão de descontinuar o uso de bases militares como abrigo temporários aos menores.

“Eu me emocionei com a onda de apoio que tenho visto em toda a região, onde 1.600 dos nossos vizinhos expressaram o seu apoio pelas crianças sozinhas a milhares de milhas de distância de casa. Mais uma vez, o povo de Massachusetts demonstrou grande generosidade e compaixão. Aparentemente, não há necessidade de Massachusetts atender essas crianças dessa vez, mas estou orgulhoso da nossa boa vontade em fazê-lo”, disse Patrick através de um comunicado.

O governador, respondendo ao pedido do Governo Federal, ofereceu em 18 de julho abrigar até 1 mil crianças durante 4 meses na Base Militar Bay, enquanto as autoridades descobrem como lidar com os direitos migratórios de milhares de menores que cruzaram a fronteira sul oriundos de países como Honduras, Guatemala e El Salvador. Embora a administração tenha informado que o Governo Federal pagará e manterá um abrigo, as autoridades locais demonstraram preocupação com o provável impacto ao longo prazo em abrigar as crianças em Massachusetts e muitas pessoas questionaram se elas eventualmente seriam liberadas, sobrecarregando escolas e outros serviços públicos.

Patrick apareceu na televisão nacional explicando a sua decisão citando como exemplo o momento histórico quando os EUA virou as costas às crianças judias que chegaram de barco na tentativa de fugir da Alemanha Nazista e foram enviadas de volta.

A decisão do Departamento de Saúde & Serviços Humanos (HHS) de descontinuar o uso de bases militares nos estados de Oklahoma, Texas e Califórnia como abrigos temporários para lidar com a onda de menores foi divulgada primeiramente na segunda-feira (4) pelo portal online Político. O órgão notificou a administração Patrick na terça-feira (5) que desde o início de julho o número de crianças em custódia caiu, enquanto o número de menores liberados para suas respectivas famílias  e os casos processados na Corte de Imigração aumentaram. O HHS também expandiu a capacidade de abrigar as crianças em abrigos regulares, os quais são mais baratos que os abrigos temporários.

Fonte: Redação Brazilian Times

Top News