Publicado em 3/09/2014 as 12:00am

Governo mexicano obriga 6.000 imigrantes a descerem da Besta

O Governo mexicano obrigou nos últimos dias cerca de 6.000 imigrantes centro-americanos a descerem do trem de mercadorias conhecido como 'A Besta', com o qual tentavam chegar à fronteira com os Estados Unidos

O Governo mexicano obrigou nos últimos dias cerca de 6.000 imigrantes centro-americanos a descerem do trem de mercadorias conhecido como 'A Besta', com o qual tentavam chegar à fronteira com os Estados Unidos, segundo confirmou o coordenador de Atenção da Migração na Fronteira Sul, Humberto Mayans.

   O funcionário mexicano explicou que trata-se de um trabalho que tem por objetivo "evitar que os imigrantes ponham em risco a sua vida" tentando subir nesse trem. Além disso, Mayans assegura que foi dado o tratamento correto, respeitando os Direitos Humanos dos cidadãos centro-americanos em todo momento.

   "Neste momento, mais de 6.000 migrantes irregulares já desembarcaram na ferrovia, respeitando a sua dignidade, com todo o respeito aos seus Direitos Humanos para evitar que sigam usando a ferrovia e sigam pondo em risco as suas vidas", detalhou Mayans, em declarações publicadas no diário mexicano 'Milenio'.

   Da mesma forma, assegurou que as autoridades locais estão trabalhando no fortalecimento dos albergues destinados aos imigrantes na fronteira sul do país, desde onde acedem às vias da ferrovia, com a intenção de assegurar-lhes uma estadia digna.

   Este trem de mercadorias é o escolhido por milhares de imigrantes para atravessar o México de ponta a ponta e tentar alcançar a fronteira americana. A travessia está cheia de perigos, não somente pelos possíveis acidentes, mas também pelas abordagens dos cartéis da droga que operam na zona.

   Na segunda-feira passada, o México confirmou que utilizará imagens de satélites para vigiar a 'Besta', numa tentativa de aumentar a segurança e reduzir o fluxo de ilegais. O presidente do México, Enrique Peña Nieto, já advertiu que tomaria medidas para tornar mais segura a porosa fronteira do México com a Guatemala, incluindo uma melhoria dos cruzamentos fronteiriços e da cooperação regional.

Fonte: Da redação