Publicado em 19/11/2014 as 12:00am

Obama vai anunciar Ordem Executiva nesta quinta

O presidente Obama está pronto para anunciar a Ordem Executiva que pode dar benefícios a cerca de cinco milhões de imigrantes. Segundo informações da Casa Branca, o anúncio acontecerá na noite desta quinta-feira (20).

O presidente Obama está pronto para anunciar a Ordem Executiva que pode dar benefícios a cerca de cinco milhões de imigrantes. Segundo informações da Casa Branca, o anúncio acontecerá na noite desta quinta-feira (20).

Obama disse, em um vídeo no site da Casa Branca, que vai usar sua autoridade de presidente para melhorar o sistema de imigração, assim como dar seguimento ao trabalho junto ao Congresso para incentivá-los a promover a Reforma de Imigração. “Quero impulsionar o projeto de lei bipartidário que pode resolver tudo”, disse o presidente.

Esta ação vai bater de frente com os legisladores republicanos que “empacaram” o projeto da reforma imigratória no congresso. O presidente ressaltou que todos concordam que o sistema de imigração está ultrapassado e falho e que as autoridades permitiram que este problema se alastrasse por anos. “O que eu vou fazer são coisas dentro da minha autoridade legal como presidente para promover a melhoria necessária”, disse.

Ainda segundo a Casa Branca, no dia seguinte após anunciar a Ordem Executiva, o presidente viajará para Las Vegas (Nevada), onde visitará alguma escolas. O objetivo é conseguir apoio para a suas ações executivas e apresentar detalhes sobre o impacto deste projeto.

Obama anunciou há alguns meses que faria esta Ordem Executiva se os legisladores ficassem inertes ao projeto da reforma imigratória. Uma fonte ligada ao Governo informou que o plano do presidente seria anunciado esta semana.

O plano contem 10 pontos que abrange tudo sobre a imigração ilegal neste país, desde aumentar a segurança nas fronteiras à remuneração dos funcionários do Departamento de Imigração para “dar moral e mais vontade pelo trabalhado”.

O ponto mais controverso seria o ligado aos milhões de imigrantes que podem obter indulto e terem as suas deportações interrompidas. O plano prevê uma expansão de “Deferred Action” que beneficia os imigrantes indocumentados que chegaram aos EUA quando eram crianças. A ideia é oferecer os mesmos benefícios aos pais de cidadãos norte-americanos e residentes permanentes.

Este ponto pode permitir que 4,5 milhões de imigrantes adultos, com filhos nascidos nos EUA, possam ficar no país. Estes indocumentados não receberão Green Card, mas terão direito a números do Seguro Social e outros documentos emitidos pelo Governo, inclusive a carteira de motorista.

Outro ponto que pode gerar polêmica é a expansão do “Defered Action” para jovens imigrantes. Em Junho de 2012, o presidente Obama criou o programa destinado a jovens que entraram nos EUA, antes de 2007, quando eram crianças, e menos de 31 anos em junho de 2012. Esta mudança expandiria a cobertura para quem entrou no país com menos de 16 anos de idade, antes de 2010. Estima-se que cerca de 300 mil imigrantes seriam elegíveis para o novo programa.

Um dos responsáveis pela elaboração da Ordem Executiva de Obama junto ao Departamento de Segurança Interna (DHS, sigla em inglês) é Esther Olavarria, ex-advogado de imigração.

O DHS planeja promover um novo processo de naturalização, oferecendo um desconto de 50% aos primeiros 10 mil candidatos que se inscreverem, com exceção daqueles que têm rendimento superior a 200% nível de pobreza.

Os especialistas em tecnologia também seriam agraciados, pois um programa poderá oferecer caminho para a cidadania a meio milhão de pessoas que trabalhavam nesta área, bem como os seus cônjuges.

Outro ponto fala das medidas que incluem a revisão de processo de criminosos perigosos e coloca-los imediatamente em processo de deportação, além de promover o encerramento do programa conhecido por “Comunidades Seguras” e iniciar um novo.

Todos os pontos citados são exatamente o que os defensores dos imigrantes pediam ao presidente Obama. Na quarta-feira, dia 12, os Democratas “imploraram”, no Congresso, que Obama tome logo uma atitude. “Nós estamos pedindo ao presidente vá em frente. Os imigrantes indocumentados são importantes para o crescimento do país. Senhor presidente, por favor. Você disse que faria logo. Aja agora”, disse o deputado Juan Vargas (D-California)

O Democrata Steny Hoyer disse que se junta aos seus colegas no sentido de instar o presidente a tomar medidas que ele precisa fazer e dar um alívio imediato ás famílias que estão sendo separadas pelas deportações e dos trabalhadores que vivem com medo.

A vice-presidente de política de imigração do Centro para o Progresso Americano, Angela Maria Kelley, elogiou a “Deferred Action” e disse que “este foi um componente importante utilizado por 11 presidentes, 39 vezes nos últimos 60 anos”.

Fonte: Da Redação