Publicado em 19/06/2015 as 12:00am

Dono do Facebook doa $ 5 milhões para estudantes indocumentados

O presidente do Facebook, MarckZuckerberg, e sua esposa Priscila Chan, doaram o dinheiro para a campanha "I´m In", lançada pelo The Dream.us, fundo nacional de bolsas para estudantes indocumentados.

Da redação

     O presidente do Facebook, MarckZuckerberg, e sua esposa Priscila Chan, doaram o dinheiro para a campanha “I´m In”, lançada pelo The Dream.us, fundo nacional de bolsas para estudantes indocumentados.

     O fundo tem como alvo os estudantes que chegaram aos Estados Unidos quando eram crianças e foram aprovados no Deferred Action for Childhood Arrival (DACA), uma medida imigratória assinada pelo presidente Barack Obama em forma de Ordem Executiva e livra os jovens da deportação e ainda concede direito para trabalhar legal no país.

     Zuckerberg escreveu em sua página no Facebook que ele “vê os esforços desses fundos como um importante passo na educação dos jovens que são marginalizados na América”.

     Ele ressalta que os Estados Unidos foram construídos por imigrantes e é uma nação imigrante. “Por isso devemos acolher os jovens inteligentes e trabalhadores de todas as nações e devemos ajudar a todos a atingir o seu pleno potencial”, disse.

     Zuckerberg disse que a sua doação vai para mais de 400 imigrantes em situação irregular na área da Baía de San Francisco, ao longo dos próximos cinco anos. Esta não é a sua primeira incursão nesta área. Há dois anos, ele se juntou a uma série de outros líderes de tecnologia para formar um grupo de interesse público e pressionar por mudanças nas leis de imigração e um caminho para a cidadania de milhões de pessoas.

     O The Dream.us é dirigido por Don Graham, que está na diretoria do Facebook, e vem de uma família que anteriormente publicou o jornal The Washington Post.

     A campanha "I´n In” arrecadou pelo menos US$ 35 milhões. Ela começou há três semanas com duas doações de US$ 15 milhões, sendo uma do próprio Graham e outra da Fundação Pershing Square.

Fonte: Brazilian Times