Publicado em 30/09/2015 as 12:00am

Donald Trump quer recriar programa que deportou um milhao de pessoas

O presidenciável republicano comparou sua estratégia de imigração ao programa de deportação em massa aplicado em 1954 nos EUA, que expulsou mais de um milhão de pessoas, inclusive crianças cidadãs norte-americanas

DA REDAÇÃO

O pré-candidato a presidente dos estados Unidos, Donald Trump, mais uma vez surgiu na mídia com seus planos anti-imigrantes. Desta vez ele deu ares de que quer reviver um programa racista aplicado em 1954 no país e que teve como objetivo a deportação em massa que expulsou cerca de um milhão de mexicanos, junto com um número desconhecido de cidadãos dos EUA.

Durante uma entrevista a CBS News, no domingo (27), Trump disse que se ele for presidente, vai trazer de volta o programa de deportação em massa criado pelo ex-presidente Dwight D. Eisenhower, que ficou conhecido pelo nome de "Operation Wetback", ou traduzido para o português “operação cucaracha”. O programa não deportou apenas imigrantes, mas milhares de outros imigrantes.

Trump disse ao jornalista Scott Pelley que ele tem planos mais humanos para resolver o problema da imigração, uma vez que todos os imigrantes querem se legalizar. O repórter indagou o presidenciável sobre se a deportação em massa era possível e se ele faria isso. “Você gostou de Dwight Eisenhower como um presidente em tudop?”

Aparentemente tentando descobrir para onde caminharia a conversa, Pelley replicou “Bem, eu não estava por perto naquela época”.

“Mas ele era um homem justo”, retrucou Trump. “Ele foi um grande americano”, concorou Pelley. “Ele fez isso com mais de um milhão de pessoas”, continou Trump.

No entanto, muitas pessoas que têm estudado o programa de deportação em massa o veem como o oposto de “humano”. Ele expulsou mexicanos e cidadãos dos EUA, incluindo crianças que foram forçadas a sair com seus país em situação irregular. “Como sempre, ele não sabe o que está falando”, disse Rodolfo Acuña, professor emérito de estudo Chicano na universidade da California, em Northridge. “Ele é ridículo”, continou.

Acuña observou que o Procurador Geral, Herbet Brownell, um dos pioneiros em campanhas para promover a segurança na fronteira, acompanha a "Operation Wetback”, uma vez que sugeriu matar pessoas que cruzassem a fronteira para entrar ilegalmente nos Estados Unidos.

"Brownell disse: 'Basta dar-lhes alguma munição e deixá-los disparar em algumas pessoas. Então, todo mundo vai ficar com medo e eles não virão mais pela fronteira", disse Acuña. "Realmente humano", citou..

Na época do programa, autoridades usaram trens e navios para enviar cidadãos mexicanos de volta ao seu país de origem. "Além de violar as liberdades civis dos cidadãos norte-americanos por meio de expulsões questionáveis a operação violou os direitos humanos do povo", escreveu Gilbert Paul Carrasco, um professor de Direito que atua sobre os direitos civis. "As deportações foram caracterizadas por desrespeito, grosseria e intimidação".

Fonte: Brazilian Times