Publicado em 16/10/2015 as 12:00am

Indocumentados protestam contra prisões e deportações

Os manifestantes se reuniram diante do escritório do ICE em Chicago e gritavam por fim das prisões e deportações

Da redação

Ativistas pró-imigrantes e famílias de indocumentados disseram nesta quarta-feira (14) que os Immigration and Customs Enforcement (ICE) continua prendendo e deportando trabalhadores, apesar das promessas do Presidente Barack Obama de dar um basta na separação das famílias.

Reina Wenves, membro da Organização Comunitária Contra a Deportação, disse que as ações do ICE se concentrariam em criminosos e não nas famílias, “mas isso não é verdade”. A afirmação foi feita durante um protesto do lado de fora do escritório do ICE, no centro da cidade de Chicago.

Wences afirmou que o ICE continua nas ruas a realizar operações, entrado em residências e locais de trabalho para prender trabalhadores.

No protesto estavam duas famílias que foram vítimas da separação promovida pela deportação, mesmo depois que elas não eram consideradas prioridades para o ICE, como afirmou o Presidente.

Martha Avila disse que o seu marido, Manuel Roman, viveu nos Estados Unidos por 16 anos e poderia se beneficiar das medidas de imigração postas por Obama, “mas o Departamento de Segurança Interna (HSI, sigla em inglês) o está segurando por mais de um ano na prisão no Condado de Dutch, em Wisconsin”.

Ela disse que quer Manuel tenha a chance de permanecer nos EUA porque ele faz muita falta para a nossa família e sem ele “tem problemas para educar e cuidar das duas filhas jovens”.

Mony Ruiz Velazco, o advogado deste caso, disse que seu cliente tem em seu registro um delito pequeno no passado e isso tem sido um problema no processo. Mesmo assim, ela acredita que o imigrante é elegível para o programa Deferred Action for Parents of Americans (DAPA).

Enquanto isso, a hondurenha Maria Oneida disse que chegou em Wisconsin há um ano com duas crianças pequenas, fgindo da violência e da instabilidade econômica de sua terra natal. “Eu peço que eles me deixem ficar aqui, porque eu me esforcei muito para vir nós só queremos ter uma vida e um futuro melhor”, disse a imigrante indocumentada.

No caso dela, os advogados disseram que mesmo a sua família fazendo parte do grupo de novos imigrantes, solicitaram que o ICE exerça o seu poder discricionário e interrompa o processo de deportação. “As famílias de Maria e Manuel estão sofrendo a crueldade do sistema falho de imigração, em centros de detenção desumanos”, disse Wences.

Fonte: Brazilian Times