Publicado em 23/12/2015 as 12:00am

Uma dúzia de imigrantes na Alemanha têm passaportes relacionados ao EI

As autoridades alemãs teriam pedido o rastreamento destes refugiados que apresentaram seus passaportes falsos ao entrarem na Alemanha antes do 13 de novembro

Uma "dúzia" de migrantes presentes na Alemanha têm passaportes sírios falsos semelhantes aos dos suicidas dos atentados de Paris reivindicados pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI), noticiou o jornal Bild, sem que fosse a informação fosse confirmada pelas autoridades.

Estes passaportes sírios apresentados por "aproximadamente uma dúzia de refugiados" possuem as "mesmas características de falsificação" que os que portavam os suicidas dos atentados de 13 de novembro em Paris realizados pela organização EI, explica o jornal, que cita "círculos governamentais".

Tratariam-se, sempre segundo o Bild, de passaportes verdadeiros roubados em 2013 em Raqa, o reduto do grupo jihadista no norte da Síria, e que depois foram falsificados.

As autoridades alemãs teriam pedido o rastreamento destes refugiados que apresentaram seus passaportes falsos ao entrarem na Alemanha antes do 13 de novembro. As autoridades não tiraram as impressões digitais dos refugiados, mas conservaram cópias de seus passaportes.

O ministério alemão do Interior, contactado pela AFP, recusou-se a dar declarações sobre estas afirmações "por razões estratégicas", mas destacou que está ciente dos riscos e da possível utilização de passaportes sírios falsos.

"Levando em conta os atuais movimentos migratórios para a Alemanha, não se pode excluir que entre os refugiados possa haver pessoas que saíram da criminalidade, ou criminosos de guerra, membros (...) de organizações terroristas, e pessoas com opiniões extremistas", declarou à AFP o porta-voz do ministério do Interior, Johannes Dimroth.

Foram abertas investigações judiciais a respeito, informou o porta-voz á AFP sem mais detalhes.

O jornal alemão Die Welt havia revelado no domingo, citando os serviços de inteligência ocidentais, que o EI havia se apoderado de "dezenas de milhares" de passaportes em branco na Síria, no Iraque e na Líbia.

 

Fonte: clicrbs.com.br