Publicado em 25/01/2016 as 12:00am

Trump tem certeza do apoio dos eleitores mesmo se 'atirar em alguém"

O presidencial anti-imigrante continua gerando polêmica e assustando as minorias que vivem nos EUA

Donald Trump está tão confiante da lealdade de seus apoiadores que previu neste sábado (23) que os eleitores se manteriam a seu lado mesmo se ele atirasse em alguém. O líder na disputa pela candidatura à presidência dos Estados Unidos pelo partido Republicano participou de eventos de campanha em Iowa a nove dias da abertura das votações das primárias no estado. "Eu poderia ficar parado no meio da Quinta Avenida e atirar em alguém e ainda assim eu não perderia nenhum eleitor, ok?", disse a uma entusiástica plateia que o ouvia numa escola cristã. "É incrível", completou.

O empresário diminuiu a importância do comentarista conservador Glenn Beck, que declarou apoio a outro candidato Republicano, Ted Cruz. Trump chamou-o de "perdedor". Beck fez críticas ao republicano afirmando que já passou "o momento para bobagens e técnicas de reality show". "Se ele vencer, será uma bola de neve a caminho do inferno", completou.

Ao mesmo tempo, Trump procurou demonstrar que alguns nomes no partido Republicano começam a aceitá-lo como o potencial candidato. Ele recebeu no evento o senador Chuck Grassley, que, embora não tenha feito uma declaração de apoio formal, pareceu reconhecer com sua presença a longa permanência dele no topo das pesquisas de intenção de voto.

Ted Cruz, que tem se aproximado de Trump nas pesquisas, concentrou seu discurso quase inteiramente no rival bilionário, mesmo sem usar o nome do adversário. Ele defendeu alguns valores conservadores e acusou o plano de deportação de imigrantes do seu adversário de ser uma "anistia", já que permitiria que aqueles que estão ilegalmente nos Estados Unidos voltassem a seus países de origem.

Cruz não quis comentar, porém, sobre a declaração de Trump a respeito dos tiros. "Eu deixarei Donald falar por si mesmo, mas posso dizer que não tenho intenção de atirar em ninguém durante esta campanha", disse a repórteres.

 

Fonte: braziliantimes.com