Publicado em 5/02/2016 as 12:00am

Deputados do Arizona aprovam duras medidas contra imigrantes

A comissão aprovou uma medida que exige que os juízes condenem pessoas ao prazo máximo possível em cadeia ou prisão, por novos crimes, quando os mesmos tenham violado as leis de imigração

Os legisladores do Arizona fizeram a sua mais recente incursão no debate de imigração, nesta quarta-feira (03), através de um acordo que aplica penas mais duras aos imigrantes que infringirem a lei.

O estado é palco de uma série de aprovação de medidas enérgicas na última década, entre elas a SB-1070, que gerou muitos protestos e ações judiciais. Ela exigia que os policiais solicitassem o “status” imigratório das pessoas durante uma parada de rotina no trânsito.

O senador Steve Smith (R-Maricopa) patrocinou várias medidas anti-imigrantes nos últimos anos e presidiu a comissão do Senado que passou duas ações nesta quarta. Ele explicou sua ideia é “garantir que todo mundo siga a lei”.

O Senador Lupe Contreras (D-Avondale) foi o único latino na comissão e o único membro a votar contra as duas medidas. "Precisamos lutar pelos direitos de cada pessoa boa", disse ele. "Quando começamos a classificar certas leis para fazer certas coisas para certas pessoas, eu não posso aceitar isso", continuou.

A comissão aprovou uma medida que exige que os juízes condenem pessoas ao prazo máximo possível em cadeia ou prisão, por novos crimes, quando os mesmos tenham violado as leis de imigração. Smith afirmou que a lei veio em resposta a um caso do ano passado em que um imigrante que entrou ilegalmente no país e estava em liberdade sob fiança, matou um funcionário de uma loja de conveniência de 21 anos. Ele explicou que um imigrante indocumentado deve ter uma pena mais dura se cometer um crime após ser penalizado por outro.

Já para Contreras, a medida pode violar a cláusula proteção igualitária existente na Constituição. Mas Smith argumentou que os imigrantes que estão no país ilegalmente e por isso não têm proteções iguais perante a lei. "As pessoas que não são cidadãs deste país, não são promovidas dos mesmos direitos que os nossos cidadãos", disse.

Outro projeto de lei, patrocinado por ele, visa impedir a liberação de subsídios estaduais para qualquer município que promove as chamadas “políticas de cidades santuários”, as quais beneficiam imigrantes. Tais políticas já são ilegais no Arizona, como resultado da SB 1070, mas a conta do Smith acrescenta penalidades. "Tudo o que estamos dizendo é: 'Se você não pode seguir a lei, você não está apto a receber o subsídio", explicou.

As propostas serão submetidas a uma revisão constitucional antes de ir a votação no Senado.

 

Fonte: braziliantimes.com