Publicado em 26/02/2016 as 12:00am

Obama quer acabar com "Cidades Santuários de imigrantes"

Uma medida vai exigir que os governos locais e estaduais cooperem com o ICE e os imigrantes presos deverão ser colocado sob a custódia da agência

A administração do presidente Barack Obama está ganhando elogios dos Republicanos mais conservadores porque ele iniciou algumas mudanças na política federal que incentivava as cidades chamadas “Santuários de imigrantes”. Ele está propondo que elas abandonem as lutas contra os pedidos de deportações impostos pelas autoridades.

As medidas adotadas pelo presidente pode tornar difícil a corrida presidencial de Hillary Clinton ou Bernie Sander que cortejam o apoio das comunidades imigrantes durante as eleições. Sob as novas medidas, a Federal Bureau of Prisions vai colocar os imigrantes presos sob a custódia do Departamento de Imigração, mesmo que o Estado ou o Município queria ficar com eles para serem condenados por algum crime ou cumprir alguma pena.

Com as novas medidas, haverá restrições para qualquer cidade ou estado que adote a chamada política de “Cidades Santuários” e se negue a ajudar o Departamento de Imigração.

Os Republicanos estão empolgados com a medida e elogiaram a Procuradora Loertta Lynch por se levantar contra os defensores de direitos dos imigrantes que encorajam as cidades a ignorar os pedidos das autoridades federais para deter um preso para averiguação de questões imigratórias. “Agradecemos esta mudança na política. Eu realmente aprecio isso e acho que é um exemplo de cooperação”, disse o Deputado John Culberson, do Texas. "É muito importante... É uma mudança muito significativa e estamos profundamente gratos", continuou.

Muitas críticas contra as “Cidades santuários” se intensificaram nos últimos meses, depois que uma norte-americana de 32 anos foi morta a tiros por um imigrante, em San Francisco (California). O assassino tinha sido colocado em liberdade 10 semanas antes devido a política cidade ser contra os pedidos de detenção dos presos para questões imigratórias.

“A mulher foi baleada por um criminoso condenado acusado de praticar sete crimes e ser deportado do país cinco vezes. Ele foi colocado nas ruas de San Francisco devido a política de Cidade Santuário”, falou o deputado Culberson, nesta quarta-feira (25).

Geralmente, o termo “Santuário” se refere à políticas ou ordens de limitar a cooperação entre a polícia local e as autoridades migratórias na detenção e deportação de estrangeiros, segundo o Serviço de Pesquisas do Congresso. Entretanto, o conceito real de “santuário” se tornou um termo político que supõe que os seus apoiadores são flexíveis com os criminosos estrangeiros.

“O termo se tornou tão carregado que é um pouco difícil saber ao que as pessoas se referem quando utilizam a expressão ‘cidade santuário”, disse Lori Nessel, diretora do Centro de Justiça Social da Seton Hall University Law School. “Muitas coisas ficam sob o guarda-chuva do santuário”.

Não existe uma lista oficial de cidades santuários e muitos websites contra a imigração listam centenas de municípios e condados como “santuários”, não necessariamente tendo como base determinações das autoridades locais. 

Nos últimos anos, alguns governos locais começaram a se distanciar do Departamento de Imigração (ICE), pois a percepção de que a polícia estivesse colaborando com as autoridades federais comprometia a confiança e, consequentemente, tornava as vizinhanças menos seguras. “Do ponto de vista da polícia”, detalhou Lori, “a última coisa que você quer é um grande segmento da população com medo de você”.

 

Fonte: braziliantimes.com