Publicado em 2/03/2016 as 12:00am

Medo de vitória de Trump gera onda de migração para os EUA

Número de migrantes latinos detidos na fronteira subiu nos últimos meses. Tom anti-imigração de republicano e promessa de muro apressa migração

Durante anos, a violência dos cartéis de drogas e a pobreza levaram muitos mexicanos e centro-americanos a irem para os Estados Unidos, mas recentemente surgiu mais uma motivação: o tom anti-imigrante de Donald Trump, o pré-candidato presidencial republicano favorito nas pesquisas.

Dados da Alfândega e da Proteção de Fronteiras dos EUA (CBP, na sigla em inglês) revelam que 150.304 imigrantes foram detidos enquanto buscavam cruzar a divisa entre o México e seu vizinho do norte entre outubro do ano passado e fevereiro último, um aumento de 24% em relação ao mesmo período do ano passado.

Dados semelhantes sobre crianças imigrantes "desacompanhadas" – sem um guardião – ainda não estão disponíveis, mas entre outubro e janeiro 20.455 crianças foram apreendidas na fronteira sul, um crescimento de 100% em comparação com 2015.

A quantidade de imigrantes normalmente aumenta à medida que o verão local se aproxima.

Das favelas da América Central às comunidades de imigrantes extremamente unidas das cidades norte-americanas, a ascensão de Trump na corrida republicana não passou despercebida e é uma das razões do salto no número de imigrantes que vêm tentando entrar nos EUA, incluindo crianças desacompanhadas.

Entrevistas com imigrantes, traficantes de pessoas e autoridades mostram que muitos do primeiro grupo estão se esforçando em cruzar a fronteira agora ao invés de enfrentar um policiamento mais rígido e novas políticas para reprimir a imigração ilegal no caso de Trump ou outro republicano vencer a eleição presidencial de 8 de novembro.

"Se Trump vencer, estamos todos ferrados, todos os latinos estão ferrados", opinou Isaias Franco, um salvadorenho de 46 anos que foi deportado dos EUA no final do ano passado e agora tenta voltar, em um abrigo para imigrantes em Ciudad Juárez, situada logo depois da fronteira com El Paso, no Texas.

Como outros deles, Franco está a par da corrida presidencial e da promessa de Trump, também feita por seu rival republicano Ted Cruz, de deportar todos os imigrantes ilegais dos EUA, estimados em mais de 11 milhões.

"Você assiste aos noticiários... há muito medo entre os latinos", disse, acrescentando que uma vitória republicana significaria o fim de reformas propostas para dar mais segurança legal a muitos imigrantes.

Fonte: Globo.com