Publicado em 23/03/2016 as 9:58am

ICE prende dono da Belo Art em Weymouth (MA)

Ainda são desconhecidos os motivos que levaram os agentes do ICE irem à loja de Verino Santos, no domingo

Na manhã de domingo (20), o mineiro Verino Santos Neto foi preso em seu local de trabalho, sua loja Belo Art, localizada em Weymouth (Massachusetts). Segundo informações de amigos próximos a ele, a prisão foi efetuada por agentes do Immigration and Customs Enforcement (ICE). Mas ainda não foram esclarecidos os motivos, pois alguns acreditam que ele foi denunciado e outros ligam a presença da imigração a um processo de assédio que ele enfrenta.

O comerciante foi levado para o Centro de Detenção de South Bay, onde também está o produtor de eventos Bob Wagner. Um amigo pessoal do mineiro disse que ele foi bem acolhido pelo outro brasileiro, mas teme pela sua saúde. “Ele não é mais nenhum garoto e sofre com diabetes. É preciso que as autoridades lhe forneçam todos os cuidados necessários”, disse, mediante seu nome ser mantido sob sigilo.

O comerciante é bastante querido na região do Sotuh Shore e por isso um grupo de amigos se uniu para promover uma campanha e levantar dinheiro para custear as despesas advocatícias e uma provável fiança. O Braza Grill em Brockton e o Brazuca de Weymouth colocaram a venda ovos de Páscoa cujo valor total arrecadado com as vendas será destinado para ajudar Verino.

Os interessados em ajudar podem procurar alguns destes estabelecimentos e comprar um ovo de Páscoa.

 

 

 

 

ENTENDA A HISTPORIA DO ASSÉDIO

Em junho de 2014, a empresária e colunista social do BT, Marlia Granigan acusou Verino de assédio sexual e o caso gerou muita polêmica em Massachusetts, principalmente em Weymouth. Na época, ela afirmou que o caso aconteceu em abril, mas que somente foi denunciado às autoridades pela vítima no dia 19 de Junho.

Verrino foi preso e liberado pela polícia no dia 21, depois de pagar a fiança no valor de US$ 1 mil, estipulada pelo juiz da Corte Distrital de Quincy, Massachusetts. A partir daí travou-se uma luta judicial entre os dois.

 

 

 

 

MARLIA EXPLICA

Depois da prisão de Verino, neste domingo, Marlia foi alvo de alguns ataques acusando-a de ter sido a responsável pelo ocorrido. Sabedora de que o BT publicaria uma matéria sobre o fato, ela resolveu procurar a redação e se defender. “A primeira coisa que eu falo é que o pessoal pensa erroneamente quando acha que basta ligar para a Imigração delatando um indocumentado e eles vão ao local prender”, disse.

Marlia explicou que ganhou todos os processos que moveu contra Verino, inclusive o de assédio sexual. “Ele assinou um termo de confissão, assumindo a culpa”, afirmou. Ela também ressaltou que ganhou um processo indenizatório no valor de US$22 mil. “Já tínhamos feito um acordo e, com juros, eu parcelei em 48 parcelas de US$500”, continua.

Ela disse que se sente triste quando as pessoas pensam que ela é capaz de denunciar uma pessoa para a imigração. “Mesmo que eu tivesse com raiva, o que eu ganhei com isso. Pois ele estava me pagando as parcelasse agora será mais difícil receber caso ele seja deportado”, falou.

O juiz tinha determinado uma Restraining Order proibindo Verino de se aproximar de Marlia, publicar sobre ela ou sobre o caso nas redes sociais ou tentar contato utilizando uma terceira pessoa. “Ele descumpriu esta ordem e na sexta tivemos mais uma audiência e o juiz marcou para maio a próxima para deliberar sobre o caso”, disse. “Eu achei que estava tudo normal e fiquei surpresa quando me contaram da prisão dele”, finalizou.

Fonte: braziliantimes.com