Publicado em 28/03/2016 as 10:12am

Deportar todos os indocumentados custaria US$ 400 bilhões aos EUA

O estudo do AAF levou em consideração dados governamentais de que é possível deportar até 400 mil indocumentados por ano

Caso seja eleito, o candidato presidencial republicano Donald Trump disse que deportaria todos os 11.3 milhões imigrantes indocumentados, incluindo seus filhos que nasceram nos EUA. Ele teria que fazer isso em 2 anos, ao mesmo tempo que impediria qualquer imigrante novo de entrar clandestinamente.

“Nós temos que tirá-los daqui”, disse Trump. “Se nós tivermos casos maravilhosos, eles poderão voltar, mas terão que retornar legalmente”.

Em fevereiro, o Senador Ted Cruz também endureceu a sua postura com relação à imigração, alegando que, caso eleito presidente, ele também encontraria uma forma de deportar todos os indocumentados. Ambos os candidatos ofereceram poucos detalhes sobre como efetuariam a deportação em massa, com Trump alegando ser simplesmente uma questão de “boa administração” e “cumprimento das leis atuais”.

Intrigado com os comentários dos dois candidatos republicanos, um grupo de direita calculou que demoraria pelo menos 20 anos e entre US$ 400 a US$ 800 bilhões para deportar todos os imigrantes. Mesmo eleitos e reeleitos, os mandatos presidenciais de Cruz e Trump não cobririam esse período. Os cálculos foram feitos levando-se em consideração que 20% dos indocumentados deixem o país voluntariamente.

Para que as deportações ocorram no tempo proposto por Trump, 2 anos, seriam necessários 90.582 agentes, 348.831 leitos nos centros de detenção, 1.3165 Corte de Imigração, 32.445 promotores públicos para processar os imigrantes e 17.296 voos privados para transportá-los a seus países de origem, conforme o estudo.

Devido ao fato de que os imigrantes indocumentados formam uma parte significativa da mão-de-obra nos EUA, sua remoção imediata causaria um impacto negativo enorme na economia, similar à Grande Recessão de 2007/2009, alertou o grupo. No final de 2018, por exemplo, o produto doméstico bruto (PIB) cairia US$ 1 trilhão e a economia encolheria 5.8%, calcula o estudo.

“Os custos econômicos e humanos seriam tremendos”, disse Douglas Holtz Eakin, presidente do grupo conservador e conselheiro do Senador John McCain durante sua campanha presidencial em 2008. “É difícil imaginar que isso possa ser feito de forma silenciosa e sem que ninguém perceba”.

Ao invés de se basear em teorias, o Fórum de Ação Americano (AAF) utilizou as afirmativas governamentais de que é possível deportar até 400 mil indocumentados por ano. No ano fiscal de 2014, o Departamento de Segurança Interna (DHS) deportou 414.481 pessoas, em contraste com 438.421 no ano anterior, segundo dados do Departamento de Imigração (ICE).

Um estudo realizado em 2010 pelo Centro Americano pelo Progresso (CAP), um grupo de pesquisa liberal e a favor da imigração, calculou que a deportação em massa custaria US$ 285 bilhões em dólares de 2008 durante o período de 5 anos e seria “impraticável, caro e ineficaz”.

“Nessa atmosfera econômica incerta em que nós vivemos gastar uma fortuna para remendar um sintoma da crise em nosso sistema migratório sem resolver a raiz do problema seria um desperdício gigantesco do dinheiro dos contribuintes”, alertou o centro.

O poder do estudo realizado pelo AAF é que não vem de uma “facção de pensadores liberais”, disse Wendy Feliz, porta-voz do grupo não partidário Conselho de Imigração Americano (AIC).

 

 

Fonte: BV

Top News