Publicado em 13/04/2016 as 2:00pm

Brasileiros estão entre os 44 presos em NJ

A operação durou cinco dias e é resultado do programa Enforcement and Removal Operations (ERRO) em parceria com o ICE

O U.S. Immigration and Customs Enforcement (ICE), junto com escritório do Enforcement and Removal Operations (ERO) em Newark (New Jersey) realizou uma operação chamada “crimes contra crianças”, no período de 4 a 8 de abril. A ação contou, também, com o apoio de parte das agencias públicas locais com intuito de aplicar a lei.

Todos os alvos desta operação estão na lista das altas prioridades do Department Homeland Security (DHS) estabelecidas pelo Secretário Jeh Johnson no polêmico memorando assinado em 2014. Esta operação culminou na prisão de 44 imigrantes, todos condenados por crimes contra crianças.

Os imigrantes foram presos em várias cidades de New Jersey e são oriundos dos seguintes países: Brasil, Canadá, Colômbia, Cuba, república Dominicana, Equador, El Salvador, Inglaterra, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Índia, Itália, Jamaica, México, Polônia, Portugal, Espanha, Trinidad e Tobago, Uruguai e Venezuela.

Segundo John Tsoukaris, diretor do escritório do ERRO em Newark, “os resultados desta operação mostram o compromisso do ICE para promover a segurança pública”. Ele acrescenta que os alvos foram imigrantes condenados por se aproveitarem de crianças e não trabalhadores.

Os imigrantes tinham entre 19 a 61 anos de idade e todos foram anteriormente condenados por vários crimes de ofensas. Algumas condenações incluem abuso sexual de crianças que colocaram em perigo a vida e o bem estar do menor.

No ano fiscal de 2015, o ICE prendeu e deportou 235.413 imigrantes de vários países. Pelo menos 91% dos deportados tinham uma condenação anterior por algum crime.

Segundo John Tsoukaris, o ICE está focado em uma fiscalização inteligente na aplicação das leis de imigração, que tem como alvo imigrantes que cometeram crimes graves e que apresentem risco para a segurança das comunidades, tais como homicídio, estupro, roubo, sequestro, além de tráfico de drogas.

Fonte: braziliantimes.com