Publicado em 22/04/2016 as 11:00am

Congressistas americanos são vaiados ao tentar discursar contra as ações de Obama na imigração

Congressistas republicanos tentaram discursar contra as ações de Obama que estão sendo julgadas pela Corte Suprema

Alguns dos opositores mais ferrenhos da reforma migratória foram confrontados por manifestantes do lado de fora do prédio da Corte Suprema, na segunda-feira (18), enquanto juízes avaliam as ações executivas do Presidente Obama que visam proteger milhões de indocumentados da deportação. O Deputado Federal Steve King (R-Iowa) tentou dar uma lição de moral nos manifestantes que entoavam o slogan “Nós queremos justiça” e o vaiaram quando ele tentava falar de um palanque instalado na base das escadarias da Corte, em Washington D.C.

“Por que vocês estão gritando?” Perguntou King, que também gritava ao microfone. “Vocês querem ser cidadãos da América? Comportando-se de uma forma a qual tentam calar alguém que tenta exercitar o seu direito de liberdade de expressão? Eu precisarei começar a ler a primeira emenda da Constituição?”

“Vocês deveriam estar demonstrando o quanto bons cidadãos vocês seriam ao invés do comportamento que vemos aqui”, acrescentou o deputado. “Vocês são um exemplo da América que esperamos, se essa Corte achar que o presidente pode escrever suas próprias leis e violar a Constituição? Caso positivo, então, teremos um futuro difícil”.

A conferência de imprensa organizada pelo Tea Party e o FreedomWorks também contou com a presença dos deputados Ted Yoho (R-FL) e Louie Gohmert (R-TX), assim como outros palestrantes que sem sucesso tentaram liderar a multidão no Juramento de Aliança (Pledge of Allegiance) e “América a bonita” (America the Beautiful). A tentativa de entoar o hino nacional foi motivo de deboche quando o cantor esqueceu a letra na metade final, provocando risadas.

Os organizadores dos manifestantes de apoio aos decretos de lei trajavam camisetas fluorescentes com o objetivo de criar uma corrente humana em volta dos opositores, uma ação que pode ter evitado mais confrontos. Em um dado momento, um organizador do FreedomWorks acusou um dos manifestantes de tentar desligar o seu microfone.

Gohmert foi recebido com cânticos de “racista”. É irônico, rebateu ele, que as pessoas que vêm aos EUA em busca de oportunidades melhores e “ainda assim, uma vez aqui, querem que sejamos como os países de onde elas vieram, onde eles não cumprem as leis”.

“Eu agradeço a Deus pelo o que a cultura hispânica traz a América, mas também agradeço a Deus pela parte da cultura hispânica que exige que todos sejam tratados com igualdade”, acrescentou ele.

King tentou ser entrevistado pelo canal de TV hispânico Telemundo quando caminhava de volta ao escritório na Câmara dos Deputados. Manifestantes o cercaram e gritaram “que vergonha!” O repórter manteve o microfone perto de si.

Fonte: Brazilian Voice