Publicado em 8/06/2016 as 1:00pm

Brasileiros ajudaram a traficar "terroristas" para os EUA

Os nomes dos envolvidos e em qual região do Brasil funcionava o esquema foram mantidos sob sigilo para não atrapalhar o andamento das investigações

Uma rede de contrabando de pessoas foi descoberta e acusada pelas autoridades norte-americanas de colocar imigrantes de forma ilegal, nos Estados Unidos, terroristas do Oriente Médio. Segundo as autoridades, o esquema com base no Brasil, recebeu a ajuda de um afegão e tinha como plano promover um ataque a este país.

Os agentes do Departamento de Imigração identificaram pelo menos uma dúzia de homens vindos do Oriente Médio, os quais receberam ajuda para entrar ilegalmente no país. Eles contaram com a ajuda de um esquema comandado por brasileiros e conectado com mexicanos. Os supostos terroristas entraram no país através da fronteira mexicana, de acordo com documentos internos do Governo dos EUA, divulgados pelo jornal The Washington Times, na quinta-feira, dia 02.

Entre os contrabandeados estavam palestinos, paquistaneses e um afegão e segundo o Departamento de Segurança Interna (HSI, sigla em inglês) todos têm laços familiares com o Taliban. “Estas pessoas estavam envolvidas em uma conspiração para realizar um ataque nos EUA ou no Canadá”, afirmou a matéria do The Washington Times.

Os nomes dos envolvidos e em qual região do Brasil funcionava o esquema foram mantidos sob sigilo para não atrapalhar o andamento das investigações. Alguns dos imigrantes foram presos antes deles terem sucesso na travessia, mas outros conseguiram entrar no país, incluindo o afegão, e foram encontrados pelas autoridades.

O grupo, segundo as informações, era guiado por dois mexicanos empregados da rede de contrabando. Eles tentaram entrar nos EUA rastejando por baixo da cerca que divide o estado do Arizona com o México e andaram por cerca de 15 milhas dentro do território estadunidense. Estas prisões aconteceram no ano passado, mas somente no início deste mês é que as autoridades descobriram e informaram o esquema utilizado pelos “terroristas” para entrar no país.

Fonte: braziliantimes.com