Publicado em 13/06/2016 as 6:00pm

Plano migratório de Ryan focaliza segurança nas fronteiras

O porta-voz da Câmara dos Deputados criticou a política internacional do Presidente Barack Obama

O porta-voz da Câmara dos Deputados, Paul Ryan, propôs um plano que visa o aumento da segurança nas fronteiras dos EUA tendo como base a reforma do sistema migratório e a implantação de defesas robustas que impeçam a entrada de extremistas, criminosos e cartéis de drogas. O plano faz parte de uma estratégia de segurança nacional que ele planejou anunciar na quinta-feira (9) e é base de uma política ampla que objetiva unir os republicanos meio às distrações frequentes provocadas pela inusitada campanha presidencial de Donald Trump.

O foco em imigração e proteção das fronteiras se encaixa com uma das bases da plataforma de Trump. Ryan apoia o uso de “cercas altas” ao longo da fronteira, mas se afasta do plano principal do bilionário: A construção de uma cerca para evitar que as pessoas entrem clandestinamente nos EUA através do México. Trump também propôs impedir que todos os muçulmanos entrassem no país, o que Ryan também rejeitou.

“A América deve manter a fronteira segura de uma vez por todas agilizando a utilização de cercas, tecnologia, equipamentos aéreos e patrulheiros”, conforme a estratégia de Ryan. “Nós também devemos reformar o sistema migratório por questões de segurança nacional”.

Ryan acrescentou que os EUA falharam repetidamente em eliminar vulnerabilidades sérias no sistema migratório, citando a inabilidade de monitorar a permanência de turistas nos EUA quando o prazo dos vistos vence. O plano também critica o Presidente Obama o que Ryan e outros republicanos consideram uma política externa falha. Ele citou a recusa de Obama de aplicar “a linha vermelha na Síria” e o acordo nuclear internacional com o Iran, entre outros exemplos.

“Nós podemos ter raiva e continuar aborrecidos ou podemos canalizar a raiva para a ação”, disse Ryan.

Fonte: Brazilian Voice