Publicado em 6/07/2016 as 5:00pm

Imigração verificará redes sociais de pessoas entrando nos EUA

O DHS informou que o monitoramento da mídia social já foi incorporado ao processo de concessão e veto a vistos migratório e turista

O secretário do Departamento de Segurança Interna (DHS), Jeh Johnson, informou que o órgão consulta as mídias sociais quando revisa aplicações de vistos migratório e turista desde o início de 2015. O comentário foi feito em resposta às críticas contra as autoridades de defesa de que não é feito o suficiente no combate às ameaças a segurança nacional.

O DHS tem recebido críticas através de denúncias que o órgão não consulta rotineiramente as mídias sociais durante os processos de aplicação para vistos. A cobrança aumentou depois que um dos atiradores da chacina ocorrida em 2 de dezembro, em San Bernardino (CA), que resultou na morte de 14 pessoas, Tashfeen Malik, entrou nos EUA através de um visto de noivado (K1). O jornal Los Angeles Times publicou que ela havia postado aliança ao Jihad Islâmico no Facebook. Recentemente, Omar Mateen, nascido em Nova York e filho de imigrantes paquistaneses, entrou armado em um clube noturno gay e matou 50 pessoas e feriu outras 53. Durante o ataque, ele teria postado imagens do massacre nas redes sociais com seu telefone celular.

Johnson disse que o DHS começou a consultar as redes sociais no início de 2015 antes de conceder determinados benefícios migratórios, mas não especificou quais. “Nós temos políticas vigentes relacionadas às mídias sociais que, em meu julgamento, eram muito restritivas especialmente na atmosfera atual; bastante restritivas”, comentou durante o lançamento da reforma do sistema de alerta contra o terrorismo.

“Durante a minha liderança como secretário, nós de fato começamos a consultar a mídia social no processo de concessão de benefícios migratórios e estaremos fazendo isso cada vez mais”, acrescentou. “Quaisquer comentários do contrário são simplesmente falsos”.

Ele frisou que o DHS consulta dados de inteligência e de departamentos de segurança quando veta “muitos” benefícios migratórios, mas que a mídia social ainda é bastante útil.

O monitoramento da mídia social como forma de identificar extremistas potencialmente violentos foi debatido arduamente por candidatos presidenciais republicanos ano passado. Na ocasião, alguns deles pediram o aumento do uso das redes sociais nas investigações terroristas. O pedido recebeu o apoio de mais de 20 senadores democratas, que enviaram uma carta a Johnson pressionando para que o DHS exija o monitoramento das mídias sociais como parte do processo de emissão de vistos.

Fonte: Brazilian Voice