Publicado em 3/08/2016 as 11:00am

Brasileiro cria polêmica nas redes sociais ao defender Trump e detonar Hillary

Vídeo de brasileiro apoiando Trump e detonando Hillary, viraliza nas redes sociais da comunidade brasileira

Polêmico em suas posições políticas, com ele não existe meio termo: as pessoas amam ou odeiam Donald Trump. Na briga pela liderança de intenção de votos, muitos brasileiros ‘torcem o nariz’ ao ouvirem o nome do magnata e candidato à presidência americana do partido republicano.

Em entrevista a NBC, Trump chegou a afirmar que se for eleito para ocupar a Casa Branca no pleito deste ano, deportará todos os imigrantes ilegais do país, deixando claro que rescindirá as ordens executivas do presidente americano, o democrata Barack Obama, que impedem a expulsão, tanto dos jovens imigrantes ilegais que chegaram ao país quando crianças, como os pais de cidadãos americanos ou de filhos com status legal. "Manteremos as famílias unidas, mas eles têm que ir embora", ressaltou o magnata imobiliário, em entrevista gravada a bordo de seu avião privado.

Fato é que nenhum discurso, ou mesmo entrevista de Trump, passa “desapercebido”, assim como também chama a atenção quando simpatizantes imigrantes defendem o candidato, e se isso ocorrer nas redes sociais então... é polêmica na certa!

É exatamente isso que tem acontecido com os vídeos publicado por um brasileiro residente na Florida, identificado apenas como “Gustavo”. Ele tem uma página no Facebook onde acumula, nada menos, do que quase 236 mil “likes“. Com a pauta da corrida política americana em alta, Gustavo tem abordado o tema em alguns de seus vídeos, onde ele não só demonstra abertamente seu favoritismo em relação a candidatura do republicano Donald Trump, como também detona a adversária política de Trump, Hillary Clinton e o atual presidente americano, o democrata Barak Obama.

Em um de seus vídeos, publicados recentemente, na página que ele mantém no Facebook “O Brazil de fora do Brasil”, já teve cerca de 10 mil visualizações desde o dia 22 de julho, quando foi postado, fora os diversos compartilhamentos. No vídeo, Gustavo elogia a atuação de Trump durante o último dia de convenção do partido republicano. “Ele (Donald Trump) simplesmente detonou todo o partido ‘demoniocratas’. Ele fez uma exposição analítica de tudo o que está acontecendo nos diversos setores do país.... Como o país está sendo roubado e como está à beira da quebra. ”, afirmou o brasileiro, que ainda comentou sobre como está o mercado imobiliário para locação de residências em Massachusetts. “Em Massachusetts hoje você não consegue alugar uma casa por menos de US$1,700...Isso é um absurdo!!Se a pessoa ganha US$10,00 a hora, ela faz 80 horas a cada duas semanas, então são 160 horas por mês, vezes 10, são US$1,600. Então nem trabalhando o mês inteiro, a pessoa consegue pagar um aluguel. Isso é um absurdo! ”. Na sequência ele relata que esse tipo de informação não é transmitida pela Globo ou GloboNews. “Eles metem o pau no Donald Trump, mas tudo que ele tem falado até os dias de hoje é verdade. Principalmente no último dia de convenção...Ele simplesmente detonou, arrasou com o partido Democrata, mostrando preto no banco, como está a realidade do país, a divisão de classes, o marxismo cultural, a ideologia de gênero e os acordos feitos, propositalmente, para levar o país a quebra, tudo isso vem da escola marxista”, afirmou.

 No final vídeo Gustavo diz que, caso Hillary ganhe as eleições, os brasileiros que votarem nela vão se arrepender. “Se a Hillary ganhar, aí meus amigos, brasileiros que votarem nela...Vocês vão se arrepender amargamente”.

Ele ainda relata que vibrou com as declarações de Trump, principalmente quando o candidato fez a afirmação de que o Estados Unidos não é globalista. “Eu vibrei com o discurso do Donald Trump, ao afirmar que os Estados Unidos não é globalista, isso foi um chute na boca do estomago, um chute no traseiro, um mata-leão nos Iluminattis... O último que se levantou contra os Iluminattis foi morto: JF Kennedy. Agora ele tem que redobrar os cuidados e a segurança dele, por que certamente vão tentar fazer de tudo para impedir que ele seja eleito. Por que ao declarar que o país não é globalista, ele está declarando guerra a elite globalista, aos iluminattis, e maçonaria e a toda essa raça de safados”, finaliza.

Prontamente o vídeo recebeu muitos comentários e dezenas de compartilhamentos. Alguns em apoio ao discurso do brasileiro e outros totalmente contra a sua posição. “Trump não gosta de imigrantes. Não sei como tantos simpatizam com ele. Esquerdistas são nacionalistas como Hitler era. Jamais votaria em um deles. ”, afirmou um brasileiro, enquanto outro demonstrava seu total apoio ao conteúdo publicado. “Concordo com você em gênero, número e grau”, afirmou um seguidor da página.

Entramos em contato com o Gustavo, para saber a opinião dele em relação as críticas e apoio que ele tem recebido e comentar sobre seus polêmicos vídeos, ele concordou em nos conceder uma entrevista, mas até o fechamento desta edição, não nos retornou com as respostas das perguntas que enviamos.

Mas engana-se quem pensa que Gustavo está sozinho no apoio de imigrantes brasileiros ao candidato republicano. Em meados de março deste ano, a BBC Brasil publicou uma matéria que também repercutiu muito em nossa comunidade, sendo compartilhada centenas de vezes nas redes sociais, onde o título dizia “Brasileiros que vivem nos EUA contam por que amam (ou odeiam) Donald Trump”. A publicação relatava que mesmo com proposta de deportação de todos os imigrantes sem visto, a construção de um muro na fronteira com o México e a proibição de que muçulmanos entrem no país, muitos imigrantes brasileiros endossam o time a favor da vitória do candidato. A brasileira, que se tornou cidadã americana há alguns anos, Beatriz Coppola, 28 anos, moradora da Florida, justificou sua simpatia quanto ao candidato por conta da sonegação de impostos de imigrantes. “Não temos como bancar todas as pessoas que não estão pagando impostos e estão sugando a América”, afirmou na época a estudante a BBC Brasil.

Gustavo e Beatriz fazem parte de um grupo aparentemente minoritário, porém cada vez mais crescente e visível, de brasileiros que simpatizam com o polêmico candidato do partido republicano.

Fonte: Da redação