Publicado em 8/08/2016 as 8:00pm

Empresa israelense mostra interesse em construir muro de Trump na fronteira

Empresa israelense mostra interesse em construir muro de Trump na fronteira

O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, ofendeu o México com sua promessa de campanha em construir um muro na fronteira sul, separando os dois países. Ele alegou que seria para impedir a entrada ilegal de imigrantes e de drogas. Além disso, o presidenciável afirmou que faria o governo mexicano pagar pela construção.

Uma empresa que construiu uma barreira de defesa na Faixa de Gaza, em Israel, manifestou interesse em ajudar a construir o muro. As informações foram divulgadas pela Bloomberg News, na terça-feira, dia 02.

Sa´ar Koursh, dono da Magal Security Systems Ltd., disse em uma entrevista que sua experiência em construção de barreira de segurança em Israel e em todo mundo poderia ajudara oferecer uma proposta ao republicano de acordo com a sua realidade. “Gostaríamos de juntar forças com a maior empresa de segurança dos EUA que tem experiência nestes projetos”, disse ele, enquanto acompanhava o Primeiro-Ministro Benjamin Netanyahu em uma missão diplomática na África. “Nós já fizemos isso no passado e queremos fazê-lo”, continuou.

A Magal é uma empresa especializada em cercas inteligentes, que usam câmeras de vídeo, sensores de solo e detectores de movimentos. A sua empresa tem ajudado a construir barreiras de segurança ao longo do Egito e Jordânia e tem contratos para fazer o mesmo no Quênia, Somália e outros países africanos que enfrentam ameaças de grupos violentos.

Koursh acrescentou que uma série de fatores têm contribuído para o aumento da demanda de barreiras de segurança inteligentes, incluindo o avanço do grupo extremista jihadista e o aumento da migração ilegal.

Em junho de 2015, Trump provocou indignação no povo mexicano com a sua promessa de construir um muro na fronteira e ainda forçar o México pagar por isso. O republicano também acusou o país de vizinho de enviar estupradores e traficantes de drogas para os EUA.

Fonte: Da redação