Publicado em 10/08/2016 as 8:00am

Mulher com dez maridos é acusada de fraude imigratória na Florida

Casamentos por dinheiro em troca de Green Card continuam acontecendo

Uma cubana residente na Flórida foi acusada de fraude migratória por se casar com dez homens em dez anos para facilitar a residência nos Estados Unidos de imigrantes sem documentos em troca de dinheiro, segundo documentos judiciais.

Yosandra Piedra Vásquez se casou com nove estrangeiros no sul da Flórida e outro na Geórgia (sul dos EUA) entre 2002 e 2012, segundo determinou um julgamento de acusação do distrito sul do Tribunal Federal da Flórida.

O montante das transações não foi especificado no texto da acusação formal, obtido nesta terça-feira (9) pela AFP.

O texto cita Yoel de Moya Lozada como o conspirador que trabalhou como elo de ligação para celebrar os casamentos.

“Os acusados intencionalmente se associaram, conspiraram e acordaram entre eles e outras pessoas (…) para celebrar matrimônios fraudulentos”, assinala o documento judicial.

O objetivo da fraude era de “os estrangeiros não-cubanos se qualificarem fraudulentamente (para obter) os benefícios migratórios” que outorga a Lei de Ajuste.

Segundo essa lei, que alivia a situação migratória dos exilados cubanos, um estrangeiro que se case com um cubano obtém a residência permanente de uma maneira mais livre do que se casasse com um americano.

“Usar o status migratório por razões fraudulentas, como neste caso, é um crime sério”, disse à AFP Kathy A. Redman, diretora da região sudeste do Serviço de Cidadania e Imigração dos Estados Unidos (USCIS). “Não toleraremos essa violação ao nosso sistema migratório”.

Os estrangeiros que obtiveram a residência através dessa operação não foram identificados no documento da acusação. Tampouco é afirmada a idade dos acusados.

Ambos enfrentam processos por conspirar para defraudar o governo dos Estados Unidos e conspirar para colaborar com um estrangeiro a viver ilegalmente no país. Piedra e De Moya podem ser condenados a uma pena máxima de dez anos.

Fonte: Da redação