Publicado em 2/09/2016 as 10:00am

Mãe de filho morto por um indocumentado se junta a Trump

O acidente que tirou a vida de Matthew Denice aconteceu em Milford (MA)

Uma mulher de Massachusetts compartilhou o palco com Donald Trump durante o seu discurso de imigração, na noite de quarta-feira, dia 31 de agosto. O evento aconteceu em Phoenix (Arizona) e o presidenciável novamente promete deportar milhões de pessoas que vivem ilegalmente no país, se for eleito. “Se eu não fizer isso, comprometerei o bem-estar do povo norte-americano”, disse.

Em determinado momento, durante o discurso, ele chamou várias pessoas ao palco para se unir a ele. Os membros do grupo, conhecido por “Angel Moms”, têm entes queridos que foram mortos por imigrantes indocumentados.

Um dos membros, Maureen Maloney, mora em Milford (Massachusetts) e seu filho foi morto em agosto de 2011. O culpado pela morte é Nicolas Guaman, um imigrante do Equador, que dirigia embriagado quando avançou um sinal de pare e atingiu a moto de Mathhew Denice.

“Meu nome é Maureen Maloney e meu filho Matthew denice tinha 23 anos quando ele foi arrastado por um quarto de milha até a morte por um imigrante indocumentado. Enquanto ele arrastava meu filho, testemunhas apavoradas batiam na camionete para que ele parasse o veículo”, disse ela ao público.

Guaman foi considerado culpado por homicídio veicular enquanto dirigia negligentemente e sob efeito de bebida alcoólica, sem carteira de motorista, deixar a cena onde havia uma pessoa com ferimentos que resultou a morte e não respeitar uma sinalização de parada obrigatória. Ele também foi considerado culpado por descuido de criança, pois o seu filho estava com ele na camionete.

O imigrante foi sentenciado em maio de 2014 a 12 anos de prisão. Ele vivia ilegalmente nos Estados Unidos por nove anos antes do acidente.

Assim como a residente de Milford apoia Trump por ter a vida de um filho ceifada por um imigrante indocumentado, outras centenas também estão fazendo o mesmo.

Fonte: Da redação