Publicado em 31/10/2016 as 10:00am

Brasileira contrai dívidas com estudos e espera que novo presidente ajude estudantes

Brasileira contrai dívidas com estudos e espera que novo presidente ajude estudantes

Hillary e Trump têm planos bem diferentes sobre dois temas importantíssimos pra todos que vivem nos Estados Unidos.

Priscila Rizardi é a cara do sonho americano: os pais, brasileiros, chegaram aos Estados Unidos há 30 anos e hoje têm um pequeno restaurante. Ela se formou em psicologia, mas o sonho levou um tranco: Priscila não consegue emprego e carrega uma dívida enorme. “Mais ou menos uns US$ 50 mil, é o que eu devo”, diz.

No total, americanos devem US$ 1,3 trilhão. Empréstimos que fizeram para cursar a faculdade e não têm como pagar.

Hillary Clinton promete refinanciar a dívida dos estudantes e dar universidade de graça para famílias de baixa renda. Donald Trump quer tirar a garantia que o governo dá a esses empréstimos e repassá-los para os bancos, que, segundo ele, ofereceriam juros menores.

Jeffrey Henig, especialista em educação da Universidade Columbia, lamenta que os dois candidatos não tenham dado destaque ao maior problema na área, que é o declínio dos Estados Unidos na educação básica.

A educação está em segundo plano nesta campanha pela Casa Branca, mas a saúde é um dos principais temas que dividem o país: os republicanos prometem acabar com o novo sistema de saúde, conhecido como Obamacare. Os democratas querem aprimorar o sistema.

Michael tem uma pequena joalheria em Nova York. Ele não podia pagar um seguro de saúde que incluísse a mulher e a filha. Custava mais de US$ 1 mil por mês, mais de R$ 3 mil. Desde 2014, quando o Obamacare entrou em vigor, o custo mensal caiu para US$ 400. “Fez uma diferença enorme”, conta ele. Agora, Michael tem seguro de saúde para toda a família e os funcionários dele, que são autônomos, também conseguem pagar os planos oferecidos pelo sistema.

Pelo Obamacare, todo americano é obrigado a pagar plano de saúde e o governo ajuda quem tem baixa renda. É um sistema muito complexo e tem dado problemas. Este ano, muitas seguradoras deixaram o sistema e os preços vão subir mais de 20% no ano que vem.

Donald Trump promete revogar o Obamacare, mas não diz o que substituiria o sistema. Hillary Clinton quer expandir a cobertura, que ainda deixa de fora 10% dos americanos.

O economista Tal Gross diz que, se Trump for eleito, 20 milhões de pessoas vão perder a assistência médica que conseguiram através do Obamacare.

Por isso, Michael não vai votar em Donald Trump.

Fonte: Da redação