Publicado em 13/11/2016 as 6:00pm

Trump confirma deportação imediata de até 3 milhões de imigrantes

Advogado tranquiliza comunidade: "Não é momento para ter medo"

Donald Trump cumprirá com sua promessa de deportar milhões de imigrantes sem documentos dos Estados Unidos, afirmou o presidente eleito em uma entrevista que transmitida neste domingo (13) no programa "60 Minutes" da rede "CBS". Segundo Trump, até 3 milhões de pessoas serão deportadas depois que ele assumir o cargo.

Em outro trecho da entrevista, Trump falou de sua proposta de construir um muro na fronteira com o México. Ele afirmou que algumas áreas da prometida divisão poderão ser erguidas usando cercas.

11 milhões de imigrantes ilegais

Durante a campanha à presidência dos EUA, Trump prometeu banir os muçulmanos e expulsar todos os imigrantes ilegais que já estão nos EUA, cerca de 11 milhões de pessoas, afirmando que aqueles que comprovarem ser "boas pessoas" serão aceitos de volta de forma legal.

"O que iremos fazer é pegar essa gente que é criminosa e tem fichas criminais, membros de gangues, traficantes, que totalizam 2, talvez 3 milhões. E vamos tirá-los do país ou fazer com que sejam presos", declarou Trump em um trecho veiculado da entrevista à "CBS".

O presidente eleito dos EUA também afirmou que "depois que a fronteira estiver segura", oficiais da imigração irão fazer uma determinação sobre as pessoas que são "fantásticas".

Muro na fronteira

Outra proposta polêmica de Trump foi a defesa da construção de um muro na fronteira com o México para impedir a entrada de imigrantes nos EUA. No dia em que apresentou sua candidatura, ele disse:

"Quando o México manda gente para os EUA, eles não estão mandando os melhores... Eles estão mandando pessoas que têm muitos problemas e estão trazendo esses problemas para nós. Eles estão trazendo drogas, estão trazendo crime, estão trazendo estupradores, e, alguns, presumo, são boas pessoas".

Na entrevista à "CBS", Trump comentou que aceitaria usar cercas ao invés de muro "em algumas áreas", mas que em outras "um muro é mais apropriado. Sou muito bom nisso. Chama-se construção. Pode haver algumas cercas".

Outras propostas feitas pelo republicano foram o fim do "Obamacare" (programa de saúde criado por Obama), o aumento dos impostos de empresas que deixarem o país e a ampliação dos poderes dos donos de armas que querem se defender.

Advogado tranquiliza comunidade: “Não é momento para ter medo”

 

O advogado especialista em imigração, Danilo Brack, conversou com a redação do Brazilian Times e afirmou que não há motivos para temer a eleição do Republicano Donald Trump. Ele explica que O sistema que governa os Estados Unidos é formado para promover negociação entre os partidos.

Dentro desse sistema, segundo ele, o presidente não é como um ditador que tem poder total de fazer as coisas que bem entender, inclusive as ameaças que deixaram as pessoas com medo, principalmente nas questões sobre a imigração.  O presidente não pode sancionar leis por si próprio. “Ele deve submeter as leis ao Congresso e promover a passagem delas”, explica.

As leis só podem ser sancionadas pelo presidente depois que elas foram aprovadas pelos Senadores e Deputados. “Portanto, todos esses rumores, boatos e comentários que provocam o medo e a incerteza na nossa comunidade não têm fundamento”, fala ressaltando que o momento pede para que as pessoas sejam racionais e aceitem que conversa de campanha é diferente de ação dentro da função presidencial. “Donald Trump sabe, já reconheceu publicamente, que é impossível, inviável e altamente inconstitucional uma ação em massa contra imigrantes”, acrescenta.

Danilo afirma que os imigrantes não devem se desesperar. “Vamos crer que se Deus permitiu Donald Trump tornar-se presidente dos Estados Unidos é porque através dele ou acima dele as promessas de Deus serão cumpridas”, fala.

O advogado acredita muito que a reforma e imigratória acontecerá até 2018 “e o respaldo vem das várias comunicações de senadores e congressistas nos últimos meses”.

Fonte: Da redação