Publicado em 6/01/2017 as 6:00am

Xerife de Massachusetts oferece presos para construir muro na fronteira

Xerife de Massachusetts oferece presos para construir muro na fronteira

Thomas Hodgson, o polêmico xerife do Condado Bristol, em Massachusetts, emplacou mais uma contra os imigrantes. Ele oferecer os presos de sua cadeia para construir o muro na fronteira dos Estados Unidos com o México. “Faça os serviços comunitários oferecendo-se para construir muro do presidente eleito, Donald Trump”, disse.

O xerife detalhou sua oferta nesta quarta-feira (04) e espera queTrump o leve para ajudar no plano. "Não posso pensar em nenhum outro projeto que teria um impacto tão positivo sobre nossos internos e o nosso país, que é colocar os presos para construir este muro", disse Hodgson. "Além de aprender e aperfeiçoar habilidades de construção, é muito forte o simbolismo desses detentos construindo um muro para prevenir a entrada de criminosos e preservar empregos e oportunidades de trabalho para eles e seus familiares.

Foi uma declaração ousada em um momento em que muitos outros funcionários locais em todo o país estão se movendo na outra direção, prometendo tentar frustrar os planos de imigração de Trump.

Prefeitos e vereadores disseram que vão lutar para manter seu status de “cidade santuário”, recusando-se a cooperar com agentes de imigração, mesmo que isso signifique perder recursos federais que os ajudem a equipar suas prisões e as forças policiais.

O município de Boulder, Colorado, que se recusou a cooperar com as autoridades federais de imigração, votou na terça-feira (03) para se declarar formalmente uma “cidade santuário”. East Montpelier, Vermont, e Iowa City, Iowa, começaram debates nesta semana sobre se devem ou não tornarem-se santuários para imigrantes.

Cerca de 280 cidades foram qualificadas como santuários para imigrantes no ano fiscal de 2016, recusando-se a cumprir um pedido de cooperação com agentes da Imigração.

Mas a oferta de ajuda do xerife Hodgson sugere que outros municípios estão ansiosos para trabalhar com uma administração que prometeu reforçar a aplicação das leis de imigração.

Um programa que é susceptível de obter atenção renovada de Trump é conhecido como 287 (g), que recruta a polícia local para ajudar a apreender e processar os imigrantes indocumentados.

O presidente Obama cortou severamente este programa, cancelando as forças-tarefa que ajudavam a treinar oficiais no campo para encontrar imigrantes indocumentados. A administração disse que esses programas não eram eficazes e poderiam levar a racismo e preconceito.

O xerife Hodgson disse que o programa é uma ferramenta valiosa para as agências que querem cooperar na aplicação da lei.

Trump, em um importante discurso de campanha sobre imigração, elogiou o programa 287 (g) e outra aplicação federal da lei de imigração, chamada Secure Communities, e prometeu revitalizá-los.

Mas foi a construção de um muro na fronteira que mais recebeu a atenção durante a campanha, e a equipe Trump insiste que ele será construído. "Vamos cumprir nossas promessas de acabar com a imigração ilegal, construir um muro", disse o vice-presidente eleito Mike Pence, depois de se reunir com os republicanos do Congresso, na quarta-feira (04).

O xerife Hodgson disse que sua ideia é construir uma rede de prisões comprometidas em fazer com que os reclusos prestem serviço comunitário. O xerife disse que os presos podem ser desdobrados para ajudar a reconstruir as comunidades depois de desastres naturais, mas também seria uma importante mão-de-obra para grandes projetos de infraestrutura, como é o caso do muro.

Jessica Vaughan, diretora de estudos de política no Centro de Estudos de Imigração, disse que espera que o governo Trump adote a ideia do xerife Hodgson. Ela disse que faz sentido os prisioneiros de prisão serem colocados para trabalhar neste projeto. "Não esqueçamos que algumas das pessoas mais prejudicadas pela imigração ilegal que são as pessoas que não tiveram a oportunidade de adquirir educação ou habilidades, que às vezes se voltam para o crime como resultado. Então se este projeto ajuda a enfrentar seus desafios de vida realmente vale a pena ", disse ela.

Fonte: Brazilian Times