Publicado em 25/01/2017 as 3:00pm

Imigrante tem parte da orelha arrancada após discussão sobre propostas de Trump

O acusado, que divide apartamento com a vítima, teria dito que "se vai ser deportado quer matar quantas pessoas puder e torce para ser assassinado pelos policiais para morrer feliz"

Um caso inusitado aconteceu nesta segunda-feira, dia 23, em Pittsburgh (Pensilvânia). Um imigrante agrediu e mordeu a orelha de seu companheiro durante uma discussão sobre os argumentos do presidente Donald Trump em relação à imigração e as ameaças de deportação.

Segundo as informações, o mexicano Salatiel Marcos Ortiz, 30 anos, correu para fora do apartamento em busca de ajuda e acionou a polícia. Ele relatou que estava debatendo com o seu compatriota sobre o que poderia acontecer com os imigrantes neste novo governo. “Mas ele ficou enfurecido e começou a me agredir”, disse.

No relatório policial, a vítima disse que o seu “roommate” falou que estava preocupado que poderia ser deportado, mesmo estando legalmente nos Estados Unidos.

Ao longo de sua campanha para presidente, Trump prometeu construir um muro na fronteira ao sul dos Estados Unidos e fazer com que o México pagasse por ele. O presidente também falou que tem planos para deportar cerca de 2 milhões de imigrantes indocumentados, prometendo focar primeiro em imigrantes que ultrapassaram seus vistos ou têm antecedentes criminais.

Salatiel disse que o companheiro - que estava embriagado - quebrou o seu dedo e o empurrou escada abaixo, além de morder sua orelha. A vítima relatou, ainda, que o roommate o ameaçou de morte.

"Sempre que ele está bebendo, está ficando louco", disse. "Tudo o que ele dizia é 'se Donald Trump vai me deportar, eu tenho que matar muitas, então alguém me mata e eu serei feliz'".

A parte da orelha que foi arrancada com a mordida foi encontrada e quando os policiais chegaram no apartamento o roommate não estava mais. O nome do acusado não foi divulgado e a investigação permanece em curso.

Fonte: Brazilian Times