Publicado em 25/01/2017 as 2:42pm

Trump aprova construção de muro na fronteira com México

Trump aprova construção de muro na fronteira com México

O presidente dos EUA, Donald Trump, assinou nesta quarta-feira (25) decreto presidencial que prevê a construção de uma "grande barreira física" na fronteira com o México, anunciou a Casa Branca. 

"Estamos falando disso desde o começo", disse Trump, ao assinar o decreto durante uma cerimônia no Departmento de Segurança Interna, em Washington. 

"Construir essa barreira é mais do que apenas uma promessa de campanha. É um primeiro passo para realmente tornar segura nossa fronteira porosa", afirmou o porta-voz Sean Spicer. "Isso vai conter o fluxo de drogas, crime, imigração ilegal para os Estados Unidos."

O porta-voz acrescentou que o México terá de pagar pela construção do muro de 3.200 km-- algo que as autoridades mexicanas rejeitam. A obra tem um custo estimado em US$ 8 bilhões.

 

"De um jeito ou de outro, como o presidente [Trump] já disse antes, o México terá de pagar por isso", disse Spicer. 

De acordo com trechos de uma entrevista concedida à emissora ABC News divulgados nesta quarta-feira, mas que ainda não foi ao ar, o presidente Trump afirmou que o planejamento do muro começará imediatamente e sua construção, dentro de meses.

"O mais breve possível, o quão breve possamos fazê-lo fisicamente", afirmou Trump ao ser questionado sobre a construção do muro em sua primeira entrevista como presidente na rede de televisão ABC.

"Diria que em meses, sim. Eu diria que em meses, certamente o planejamento vai começar imediatamente", ressaltou, afirmando que o México pagará "100%" pela construção.

"Vamos ser, de certa for, reembolsados pelo México", disse Trump. "Estou dizendo para você que haverá um pagamento. Será feito de alguma forma, talvez de uma forma complicada."

Imigração

Segundo Spicer, Trump assinou nesta quarta também uma segunda ordem presidencial que endurece as leis imigratórias dentro dos EUA  em parte fazendo com que as agências que atuam na área "entreguem" imigrantes ilegais para autoridades federais. 

O decreto também retirará financiamento federal às chamadas cidades-santuário (municípios que limitam cooperação com funcionários da imigração, tecnicamente ajudando a proteger ilegais). 

"O povo americano não vai mais ter de ser forçado a subsidiar esse desprezo pelas nossas leis", afirmou o porta-voz Sean Spicer.

Nos próximos dias, outras medidas relacionadas à imigração devem ser anunciadas. (Com agências internacionais)

Fonte: Uol.com.br