Publicado em 25/01/2017 as 2:02pm

Xerife de MA cita caso de brasileiro para pedir deportação e muro na fronteira

Xerife de MA cita caso de brasileiro para pedir deportação e muro na fronteira

Um imigrante indocumentado da República Dominicana, identificado como José M. Lara-Mejica, acusado de matar uma senhora em Lawrence (Massachusetts) pode pegar no máximo cinco anos de cadeia, em audiência nesta segunda-feira (23). Isso deixou a família da vítima Mirta Rivera, que ainda está em luto, entristecida e pedindo leis de imigração mais severas. "A vida de minha mãe vale apenas cinco anos? Você está brincando comigo", disse Darling Nieves, filho de Mirta. O assassinato aconteceu no dia 4 de Julho de 2015. José teria afirmado que o tiro que deu no chão de seu apartamento e que atingiu a vítima, foi acidental. O projétil atravessou o piso e atingiu Mirta, que estava em seu quarto. Em uma audiência realizada nesta segunda, foi oferecido um acordo e se ele aceitar sua pena será imposta em no máximo cinco anos. A promotora-adjunta, Karen Hopwood, recomendou uma pena de oito a dez anos se o acusado se declarasse culpado de homicídio involuntário, enquanto o advogado de defesa, Willian Sullivam sugeriu de três a cinco anos. O Juiz Thomas Feeley decidiu deliberar a pena de quatro anos e meio a cinco anos. "Fizemos a recomendação que achamos adequada", disse Carrie Kimball Monahan, porta-voz do promotor de justiça do Condado de Essex, Jonathan W. Blodgett. Após cumprir a pena o imigrante deve ser deportado. "Eles sempre são enviados de volta ao seu país e depois de um tempo retornam", disse um membro da família de Mirta, revoltado com a situação. "O que vai acontecer é que ele voltará a viver livre em seu país natal depois de matar uma pessoa", continuou. O caso trouxe à tona, mais uma vez, a necessidade de mais proteção na fronteira do país e isso fortalece a proposta de Trump, que prometeu deportar até 3 milhões de criminosos. Alguns xerifes locais se comprometeram a ajudar a agilizar o processo alertando funcionários da imigração se eles têm prisioneiros que são indocumentados. "Nossa obrigação primeira e principal é fornecer segurança pública e segurança nacional para todos os residentes legais aqui", disse o xerife do condado de Bristol, Thomas Hodgson. "É por isso que o presidente Trump está no caminho certo quando afirma que vai dobrar e garantir a proteção nas fronteiras e minimizar as chances de imigrantes deportados retornarem", continuou. Hodgson citou outros casos recentes de imigrantes indocumentados acusados de homicídio, incluindo Walter Da Silva, um brasileiro que foi deportado duas vezes e agora enfrenta acusação de matar a própria filha em New Bedford em julho do ano passado por esnobá-lo no Dia dos Pais. "Essas coisas estão acontecendo em todo o país", disse Hodgson. "Essas mudanças estão atrasadas há muito tempo, temos que construir esse muro. Precisamos deste plano de segurança imigratória", finaliza o xerife.

Fonte: Brazilian Times