Publicado em 31/01/2017 as 8:00am

Democratas prometem barrar nome indicado por Trump à Suprema Corte

Como 52 dos 100 senadores são republicanos, os democratas podem apenas adiar as confirmações, mas não bloquear

Senadores democratas prometeram barrar qualquer nome indicado pelo presidente dos EUA, Donald Trump, para ocupar a vaga existente na Suprema Corte -Trump anunciou que irá revelar o indicado nesta terça-feira (31).

Além disso, os senadores democratas também afirmaram que vão postergar a confirmação do secretário do Tesouro, Steve Mnuchin, para terça-feira (7).

A Casa Branca, em resposta, divulgou uma nota acusando democratas de obstruírem sistematicamente as escolhas de Trump. "O presidente Trump enfrenta obstrucionismo não enfrentado por outros presidentes", diz o comunicado.

Segundo o texto, 17 dos indicados por Trump para liderarem secretarias ou agências ainda não foram confirmados pelo Senado. Também aos 11 dias de governo, o ex-presidente Barack Obama (democrata) tinha apenas sete indicados aguardando confirmação e o ex-presidente George W. Bush (republicano), quatro.

Para um indicado assumir, ele precisa ser confirmado pela maioria dos senadores, 51. Como 52 dos 100 senadores são republicanos, os democratas podem apenas adiar as confirmações, mas não bloquear.

Já para o indicado à Suprema Corte, são necessários 60 votos de senadores. No ano passado, republicanos se recusaram a realizar a votação do nome do juiz Merrick Garland, indicado de Obama à vaga deixada por Antonin Scalia, morto em fevereiro.

Democratas afirmam que essa vaga "foi roubada" e ameaçam bloquear qualquer indicado de Trump. Para isso, eles precisam de 41 votos de senadores democratas para uma manobra chamada "filibuster" que pode adiar indefinidamente a votação.

A escolha do juiz da Suprema Corte é crucial para os democratas, porque mais um magistrado conservador levará as decisões da Corte para a direita em questões como legalização do aborto, porte de armas e casamento gay. 

Fonte: http://www.folha.uol.com.br/