Publicado em 28/02/2017 as 10:56pm

Em discurso, Trump diz que acredita em uma reforma imigratória

Presidente diz que para que isso aconteça é preciso um comprometimento do Congresso

da redação
Depois de tantas ações contra as comunidades imigrantes, a noite desta terça-feira (28/02) foi um dos momentos mais aguardados, pois o presidente dos Estados Unidos abordaria o tema "imigração ilegal" em seu primeiro discurso diante do Congresso. E assim o fez. O Chefe do Executivo disse que "acredita que uma reforma imigratória é real e possível".
Mas para isso, o presidente disse que é preciso um compromisso entre os legisladores Democratas e Republicanos. Trump ressaltou, ainda, que antes da reforma acontecer é preciso "aumentar a geração de empregos, promover uma maior segurança na fronteira e elaborar um sistema que fortaleça o mercado e as famílias imigrantes".
Trump disse, ainda, que acredita que pode trabalhar em torno de uma reforma imigratória e novamente pediu apoio dos republicanos e democratas. Ele deixou claro que é preciso aplicar as leis antes de tudo, pois somente assim os salários dos trabalhadores serão melhorados, haverá uma maior criação de empregos e as cidades ficarão mais seguras.
Mas ele não deixou de falar dos imigrantes criminosos e ressaltou que "durante o seu discurso, muitos estrangeiros perigosos estavam sendo deportados, tais como membros de gangues, assassinos, estupradores e pessoas que fizeram muitas vítimas em toda a comunidade norte-americana".
Para Trump, o tempo de pensar pequeno acabou e conclamou os membros do congresso a se unirem e pensar grande para promover um futuro maior e melhor para a América. "Deus nos abençoe e abençoe os Estados Unidos", finalizou.

OUTROS ASSUNTOS
Trump também condenou os recentes ataques e ameaças contra a comunidade judaica. "Esta noite, em que marcamos o fim da nossa celebração do Mês da História do Negro Americano, somos lembrados do caminho da nossa nação na direção dos direitos civis e do trabalho que ainda resta por fazer", comentou.
"As recentes ameaças aos centros da comunidade judaica e o vandalismo de cemitérios judeus, além do tiroteio em Kansas City na última semana, nos lembram que, ao mesmo tempo em que podemos ser uma nação dividida na política, somos um país que permanece unido na condenação ao ódio e ao mal em todas as suas formas", declarou o presidente.
Nessa sessão conjunta do Senado e da Câmara de Representantes, Trump também prometeu iniciar "em breve" a construção do polêmico muro na fronteira com o México, com o objetivo de conter "as drogas e o crime".

Fonte: Brazilian Times

Top News